quinta-feira, 2 de junho de 2011

Sargento morre de infarto após participar de educação física em Cruzeiro do Sul

O sargento Antonio Ademar Paiva do Nascimento, mais conhecido como sargento Paiva, servindo atualmente no 6º Batalhão da PM, em Cruzeiro do Sul, foi vítima de um infarto e chegou a óbto na tarde de hoje, dia 02, depois de lutar pela vida na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) daquele município. Segundo informações, o militar estava praticando atividade física prevista em escala de serviço quando sentiu fortes dores e foi levado às pressas para o Pronto Socorro.
Paiva sofreu o ataque foi levado ao hospital por volta das 09h30min do dia 31 de maio. O corpo está sendo velado na residência de sua mãe no bairro do Remanso, próximo à residência do Sgt PM José, e será sepultado às 14h00 do dia 03 de junho. Segundo os médicos, o militar estava em estado grave e não podia ser encaminhado para Rio Branco naquele momento, sob risco iminente de vir a
falecer em viagem. O Comandante Geral, José dos Reis Anastácio  já havia disponibilizado todos os recursos  necessários para que o Sgt, tão logo oferecesse um quadro clínico aceitável, fosse transportado para a capital. O Sargento foi atendido e acompanhado por uma médica especializada em doenças cardíacas, com experiência inclusive em hospitais de São Paulo.
"O sargento Paiva servia na COE. Era um profissional dinâmico, esforçado e atuante. Se doava muito para a atividade e exigia de si e de seus subordinados empenho nas ações, o que lhe rendia mal entendidos. Nos úlimos dias foi responsável por bons trabalhos elogiado inclusive na imprensa por grandes apreensões de produtos de procedência irregular", disse o soldado Gleidson.
Nos últimos anos vários militares foram vítimas de ataques cardíacos, o que mostra que deve haver atenção do comando da PM e da Policlínica na busca de orientar e incentivar os militares a práticas que diminuam os riscos da tropa sofrer com o mal. Sabe-se que o colesterol, o estresse, a questão genética são elementos que colaboram com o infarto. 
Mas não é somente com esses fatores que as pessoas devem se preocupar. Mais recentemente, um estudo realizado pelo Instituto do Coração (Incor) do Hospital das Clínicas da Faculdade de São Paulo constatou algo difícil de se trabalhar. Segundo a pesquisa até uma mudança brusca na temperatura (como de quente para frio) aumenta a possibilidade de ataques cardíaco na população.
Segundo o médico cardiologista Edmar Santos, a Associação Americana de Cardiologia alerta que a molestia é bem pior para as mulheres. De acordo com um estudo da entidade, a possibilidade de uma mulher morrer de infarto na primeira ocorrência é de 50%, esse percentual é reduzido para 30% quando se trata do sexo masculino. Ainda assim, na PM o número de mulheres que chegam a óbto é inferior ao de homens.

O Site ABC da Saúde mostra alguns sinais de alarme

Os mais comuns são:
 
Pressão e desconforto, dor em aperto no centro do peito que dura mais do que alguns minutos ou que vai e volta.
Dor do centro do peito que irradia para os ombros, queixo, pescoço e braços, mais freqüentemente para o braço esquerdo.
Desconforto no peito com sensação de cabeça leve, sensação de desmaio, suores e falta de ar.

Os menos comuns são:
 

Dores atípicas, vagas, na boca do estômago, peito ou barriga.
Náusea ou vômitos sem dor no peito.
Respiração curta ou dificuldade de respirar, mesmo sem dor no peito.
Ansiedade inexplicável, fraqueza ou fadiga.
Palpitações, suores frios ou palidez, que às vezes vão e voltam.

7 comentários:

  1. Sd PM Jairo Lopes2 de junho de 2011 14:43

    Realmente era um Policial Militar dedicado ao serviço. É lamentável a perda, que Deus esteja confortando sua família, bem como a membro da família militar. (LUTO)

    ResponderExcluir
  2. Mais um de nossos irmãos é vítima do descaso da Policlínica com os PMs do Vale do Juruá. Aqui todos os PMs pagam a mesma mensalidade dos da Capital porém quando precisam da Policlínica não dispõem de médicos. Apelo ao nobre Dep. Major Rocha que cobre de nossos superiores um nutricionista, cardiologista e outros profissionais para nos atender. Hoje mais ou menos 70% dos PMs estão acima do peso ideal e isso é um fator de risco aliado a perca de sono e exaustão de serviço.

    ResponderExcluir
  3. Perdemos um ótimo profissional que não media esforços em servir e proteger o cidadão de um modo geral e que se dedicava de corpo e alma ao serviço policial. Que Deus conforte a sua família neste momento tão triste. Vai deixar muitas saudades a família Polical Militar.

    ResponderExcluir
  4. Sinto, pela dor da familia... Mas o que mais chama a atenção é a falsidade das pessoas, que só vão lembrar, fazer homenagens dizer que gostam, depois que a pessoa morre, ai não adianta mais, porque ele não vai mais saber, agora somente orar pelo espírito dele.

    ResponderExcluir
  5. O que mais chama atenção é que no site da PMAC não tem sequer uma nota de pesar pelo falecimento do nobre colega de profissão. somente dois SDs se manifestaram pela perca de um irmão de farda. E ainda existe dentro da corporação gente inescrupulosa que vem falar em falsidade nessa hora tão difícil. Na PM é assim Deus por todos e todos por um.

    ResponderExcluir
  6. Grande Paivinha.......vai fazer muita falta na pelada da Educação Física e também as tardes na quadra do BPM.

    Ismael de Oliveira Lima - SD PM
    6º BPM - O melhor do ACRE

    ResponderExcluir
  7. lucilene mendonca uchoa6 de junho de 2011 12:08

    lucilene uchoa paiva deixa saudades, uma pessoa boa carinho amavel. nao dar p acreditar que paiva foi embora, e muita dor penssar que numca mais vou ver.e muita saudades triste saber que nao podemos salvar ele, com com essa situacao pobre que temos no hospital do jurua. saudades muitas, te amo paiva

    ResponderExcluir

Evite palavrões. Dê seu apoio, faça a sua crítica, mas com respeito a todos.