quinta-feira, 16 de junho de 2011

Dança de cadeiras na PM

Coronel Júlio César deixa CPO II e assume interinamente subcomando

Um passo à frente. O coronel Júlio César deixou Cruzeiro do Sul na noite de terça-feira, 14, para assumir interinamente o subcomando da PM, enquanto o coronel Paulo Cézar se recupera do acidente ocorrido no último sábado, dia 11. Júlio Cesar estava respondendo pelo Comando de Policiamento Operacional II, responsável pelo policiamento de todo Vale do Juruá. Na bagagem ele traz a promessa de assumir o cargo por tempo indeterminado.
De acordo com informações, depois que Paulo Cézar retornar ao serviço, Júlio deverá assumir a corregedoria da PM e aguardar o desfecho da decisão do governo em exonerar seu amigo coronel. Quanto ao atual corregedor, tenente coronel Edvaldo, ainda não se sabe qual o seu futuro, contudo, muitos policiais gostariam que ele se aposentasse. Mas é possível que volte a assumir cargo junto à Secretária de Segurança.

Favorecido
Paulo Cézar não gostou nada da matéria produzida por este blog anunciando sua saída, acabou sendo favorecido tanto com a matéria quanto com o acidente em que se envolveu. Isso porque o governo, nos dois casos, sairia com a imagem maculada. No primeiro caso, assumiria que não confia no oficial e que foi traído, no segundo porque colocou no cargo político uma pessoa envolvida em situação delicada.
Alguns membros do governo afirmam que o deputado Éber Machado também foi responsável pela situação ao pedir a cabeça de Paulo Cézar na Assembléia Legislativa, depois de desferir um discurso inflamado contra o subcomandante (Confira matéria).
De acordo com a matéria publicada no AC24Horas, Éber chegou a dizer ao governador Tião Viana que deveria escolher entre o deputado e o subcomandante. A situação ficou difícil para o governo e para o coronel que passou a entender que não basta agir certo e ficar do lado dos policiais que estavam na blitz, tem que ser "politicamente estratégico".

10 comentários:

  1. Isso PC, sinta na pele o que é trabalhar corretamente e depois sofrer ingerência política!
    Se lembra do que vc fez aos policiais no caso da rinha de galo????
    Taí a recompensa...

    ResponderExcluir
  2. Lá vem o "urso panda"...

    ResponderExcluir
  3. kakakakakak...urso panda é?? kakakkakakakak.

    ResponderExcluir
  4. Cap PM R/R Mário16 de junho de 2011 13:54

    Não quero entrar no mérito da questão concernentes ao relacionamento de PC com a tropa da PMAC. Quero me referir a esse episódio com Dep Éber. Na realidade PC continuará Coronel, independente de ser ou não Subcomandante da Corporação, com certeza se aposentará assim. E o Senhor Deputado será reeleito? Para defender "fora-da lei" Ou não? É dessa forma que o estado presa a competência? PC por onde passou, seja instrutor ou aluno de cursos e estágios foi destaque e sempre alcançou as primeiras colocações. Talvez o Oficial da briosa PMAC mais preparado (intelectual e operacionalmente) para ser Cmt Geral, desculpe aos demais e àqueles que não o admiram. É dessa forma que os PTRALHAS evidenciam a competência? Por outro lado, Cel PC que o episódio com esse parlamentar e a preterição como Cmt Geral sirva de lição. Conheço muitos que estavam do lado de lá e foram traídos. Agora fique do nosso lado, já deveria ter ficado por ocasião da paralização. Só cego não ver o quanto essa turma PTISTA nos odeia. Vamos dar o troca nas urnas em 2012.

    ResponderExcluir
  5. Para servir ao governo do Estado é necessário: 1. ter uma mão enorme (pra puxar o saco direito)
    2. ser cego (pra não enxergar as maracutaias e defender o partido com unhas e dentes)
    3. ser surdo (pra não se irritar quando um viana cagar na tua cabeça)
    4. Ser mudo (pra não falar asneiras como o Moisés Diniz)
    5. saber fingir de morto, deitar e rolar (que nem os cachorros obedientes fazem)
    6. e por fim: estar com a mala sempre pronta pois apesar de voce cumprir com todos os requisitos acima, poderá pegar um chute na bunda pra dar seu espaço pra cunhada do deputado X, que tá precisando de uma mamata igual a tua.
    Obs: é proibido: inteligência, competência, honestidade...

    ResponderExcluir
  6. Cap Mário, o problema é que o governo percebe, assim como todos percebemos, a ganância do PC pelo poder. Seus atos são guiado em muito pelos interesses pessoais. Muito de suas realizações visam, lá na frente, somar bonos pessoais. Outra coisa, se o Tião o colocasse no comando, seria uma continução do desastrado comando do Cel célio. O governo já entraria com um comandante desgastado. Aqueles episódios de reuniões secretas com militares para pedir votos para políticos deixaram claro a intenção de PC: somar bonos para chegar ao poder! E isso é muito perigoso.
    Na minha opinião, o Tião fez certíssimo em não lhe nomear comandante. E fará mais certo ainda em demití-lo e nomear o Cel Julio cesar para o Subcomando da Briosa. A PM e o CBM precisam se reoxigenar e a fila andar!!!!

    ResponderExcluir
  7. Cap PM R/R Mário17 de junho de 2011 12:00

    E quem não têm essa ganância? O primeiro que assumir, sem padrinhos políticos e bater de frente com o governo por uma PM mais prestigiada e mais humana, onde os OBJETIVOS sejam valorização de seu pessoal e depois com a missão constitucional, aí sim, esse é sem ganância, pois colocará em ameaça o cargo. QUEM, DESSES QUE ESTÃO AI, SERÁ CAPAZ DISSO?

    ResponderExcluir
  8. pc o governo sabe da sua competencia,ou seja não vejo outro oficial preparado para asumir o comando da pmac.

    ResponderExcluir
  9. Alardeia-se aos cantos a tal competência do PC e a violência campeando por todos os lados. Cada dia cresce mais. Então, quanto tempo o PC já tá no subcomando? E pra onde tá indo ou pra que tá servindo essa suposta competência dele? Competência deve ser medida e sentida na diminuição da violência pela população. Competência gera lucro e, no caso da PMAC, o lucro é o controle ou diminuição da criminalidade. E isso não estamos vendo. Resultado, não tá havendo competÊncia coisa alguma. Competência abstrata, que não gera resultados, não é competência.

    ResponderExcluir
  10. .'.Entre colunas.'.

    "Óh quão bom e suave é os irmãos viverem em união"

    ResponderExcluir

Evite palavrões. Dê seu apoio, faça a sua crítica, mas com respeito a todos.