quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Por que os militares não devem votar em Sebastião Viana do PT



Cronologia das sacanagens do governo de Sebastião Viana


Imagem postada em 2012, quem serve para os dias de hoje

2011

As lideranças militares passam a se reunir com membros do governo para discutirem as pautas de lutas da categoria. O deputado Major Rocha faz sua primeira proposição de parceria do governo. Duas reuniões acontecem nesse período. O governo pede tempo para negociar e se reúnem algumas vezes mais. Em maio o governo, através do assessor Nepomuceno Carioca determina que seja dado apenas 1% de reajuste salarial para a categoria.
Depois de algumas assembleias gerais, os militares decidem fazer uma paralisação de 24 horas. Depois da pressão, o governo acena com 20% de reajuste, divididos em 4 parcelas, tudo pago em dois anos.
Logo em seguida, o governador Sebastião Viana vai nos batalhões e ameaça os militares. Ele determina que mais de 300 militares sejam presos em todo o Acre. Vários militares deixaram seus lares, perderam sua liberdade por causa do governador.

Matérias


2012

Governo anuncia em janeiro que 2012 seria o ano da Segurança Pública. Balela, foi ruim igual a todos os outros anos passados e iguais também aos que viriam. Mais enrolação. Dessa vez, o governo estava respaldado por causa do golpe que silenciou a categoria, a cadeia que explorou o quanto pode dentro da Caserna. Inicia-se as reivindicações da Isonomia do Risco de Vida.
Governo passa a nem querer ouvir falar de carga horária ou reformulação de Regulamento Disciplinar. Rechaça qualquer proposta a respeito. O próprio Sebastião Viana manifesta sua raiva pela categoria.
A cúpula petista com apoio do comando da PM, articula reuniões com o Jamyl Asfury para tentar eleger o então desconhecido Marcus Alexandre. Mais mentiras foram jogadas ao vento, como um tratamento melhor entre governo e tropa, fardamentos, viaturas e a Isonomia do Risco de Vida, que viria integral em janeiro de 2013.

Matérias


2013

Governador Sebastião Viana manda prender militares que criticou o Programa Ruas do Povo. Um claro desrespeito a um cidadão de bem e pai de família.




O governo passa a protelar a Isonomia do risco de vida, prometida para Janeiro. Passa fevereiro, março, abril, maio, junho, julho e todos cansados da espera, acontece um movimento e o governo logo oferece dar tudo em oito parcelas. Desrespeito com a categoria e com o servidor público.




COMANDO DA PM E GOVERNO PRENDEM MILITARES E OS CONDENAM PUBLICAMENTE. POUCA VERGONHA.





segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Comando da PM articula reuniões do candidato ao governo Sebastião Viana com militares



Caindo em campo. O governador do Acre Sebastião Viana determinou ao comando da PM que passasse a reunir, na tarde de hoje, dia 29, com os militares no AFA Jardim a fim de mais uma vez fazer política. Dessa vez, até os alunos soldados serão liberados mais cedo para marcar presença no evento.

De acordo com informações, o próprio comandante geral, coronel José dos Reis Anastácio, está passando nas unidades realizando o convite.

- O coronel veio pessoalmente liberar a gente para servir de plateia para o governo. Mas a gente sabe como dar a resposta nas urnas, não esquecemos que tivemos que ralar muito para ser chamado para fazer o curso, declarou um aluno soldado que nos repassou a informação completa.

Com o crescimento da campanha de Mário Bittar, já existe o medo de que essas eleições possam ir para o segundo turno e daí o governo petista ter uma derrota nas urnas. Eles sabem que todo voto é importante e passaram a frisar mais os alunos soldados porque sabem que são pessoas que não tiveram ainda a experiência da Caserna e da forma como o governo geralmente trata os militares.

- Ninguém esqueceu que foi o Sebastião Viana que mandou prender os militares pelos dias 13 e 14 de maio de 2011, vários pais de família tiveram que cumprir de dois a cinco dias de cadeia por causa dele. Não esquecemos que ele nos enganou o quanto pode para dar a isonomia do risco de vida. Não esquecemos que eles deixaram só dois militares por viatura, deixando a gente em uma total insegurança. Não esqueci dos coletes com prazo de validade vencido, das munições que não prestavam para nada, afirmou um militar antigo.

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Major Rocha e Isaque Ximenes aparecem bem nas intenções de votos no aplicativo para celulares Votação 2014



Os militares estão respondendo bem ao chamado de nossos representantes nessas eleições. O candidato dos militares, Major Rocha, está em segundo lugar nas intenções de votos do aplicativo para celulares Votação. O parlamentar está em segundo lugar nas pesquisas com 10% das intenções, ficando atrás somente do candidato Alan Rick, com 12%.

Os militares estão apostando na vaga para Deputado Federal e acreditam que na importância de serem defendidos no cenário nacional.

- Infelizmente ainda sofremos perseguições quando manifestamos nosso voto, mas quero dizer para o Major Rocha e para o Isaque que no dia da votação será somente nós e a urna, lá vou dar a resposta da tropa pela perseguição. Estamos Juntos para Mudança, declarou um militar apoiador dos candidatos.

 Já o candidato a Deputado Estadual Isaque Ximenes, aparece em décimo terceiro na lista dos mais bem votados. Ele fica atrás apenas dos candidatos que possuem grande estrutura e dinheiro. Com uma campanha pé no chão e fazendo cotas entre os amigos para a gasolina, Ximenes tem surpreendido com grandes adesões a sua candidatura, tanto de militares quanto de civis, fruto de seu carisma e sua competência demonstrada quando esteve à frente da Associação dos Militares (AME/AC).

Dividir para acabar com a categoria

O governo criou um cenário político para prejudicar a categoria, incentivando alguns militares a saírem candidatos a fim de enfraquecer e dividir votos. Assim foi com o tenente Veríssimo e o sargento Kenny Robert, antes inimigos mortais do PT, hoje, uns de seus maiores defensores.

Correndo por fora

O Comando da PM e do Corpo de Bombeiros abriram espaço também para Jamyl Asfury, o parlamentar que ficou conhecido por afirmar que contraria o melhor negociador do país para ajudar a PM e não cumpriu com a promessa até hoje. Além dele, Julinho, esposa da chefe da casa civil, Márcia Regina, também está pleiteando votos dentro da Caserna.

Quem tem chance de ganhar
 
Major Rocha e Isaque Ximenes são os únicos candidatos da PM e do Corpo de Bombeiros que tem chance de se elegerem. As pesquisas já apontam isso. Contudo, o voto precisa ser efetivado, depositado ou confirmado na urna. O futuro da categoria PM/BM passa pela eleição dos dois, a fim de conseguir maior representatividade pera o governo e perante as instituições.