terça-feira, 2 de setembro de 2014

AME prestará assessoria jurídica a militares agredidos em ocorrência no Sesc e poderá mover ação judicial contra agressores



O presidente da Associação dos Militares, sargento Joelson Dias, afirmou na manhã de hoje, 02, que a assessoria jurídica da entidade já está estudando uma forma de atuar em defesa dos dois militares que foram agredidos em uma festividade no Sesc, no último domingo.


Os dois soldados pertencentes ao Primeiro Batalhão foram chamados para atender uma ocorrência envolvendo dois integrantes homossexuais de uma quadrilha junina que se preparavam para dançar no Sesc e que queriam usar o banheiro masculino. A direção do Sesc negou a entrada e, diante da insistência dos participantes, teve que solicitar apoio policial. Os militares tentaram resolver tudo no local, mas não houve acordo e tiveram que usar da força necessária. Os homossexuais da quadrilha junina acabaram reagindo e feriram um dos policiais na mão e o outro saiu da ocorrência com pequenas escoriações, a viatura policial teve o para-brisa quebrado com um tijolo.


- Os advogados já pediram todos os documentos necessários, entre eles o boletim de ocorrência e exame de corpo delito para que tudo seja encaminhado de acordo com a lei vigente, disse o presidente da AME.

Policlínica garante atendimento de emergência à noite e aos finais de semana na Urgil e Prontoclínica em Rio Branco



Assessoria da AME/AC

O diretor da Policlínica, coronel Luís, confirmou na manhã de hoje, 02, para os diretores da Associação dos Militares (AME/AC) que a partir desse final de semana a Urgil e a Prontoclínica passarão a atender os militares e seus dependentes no período da noite e aos finais de semana para atendimento de emergência.

Os serviços disponibilizados fazem parte das medidas adotadas pela direção da Funsau/PMAC na mesa de negociação e vem a atender uma grande necessidade dos militares, os atendimentos à noite para crianças e adultos.

De acordo com a direção, o militar ou seu dependente deverá apenas pegar uma guia junto a Policlínica e se dirigir para o local do atendimento necessário, a formalidade é necessária para justificar os gastos e a entidade ter um controle contábil melhor.

A partir desse final de semana, os atendimentos não serão cobrados na hora do atendimento. Alguns estudos já estão sendo providenciados também para melhorar o atendimento também no interior.

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Major Rocha diz que exemplo de Caxias deve ser lembrado

Assessoria do parlamentar


O deputado Major Rocha (PSDB) disse no início da tarde de hoje (25) com relação á comemoração do Dia do Soldado, que as missões comandadas por Luiz Alves de Lima e Silva, o Caxias, devem ser lembradas em todo o país como exemplo de Soldado brasileiro.
“A conduta militar de Caxias deve nortear o trabalho de todo o soldado do Brasil, especialmente o acreano”, comentou Rocha.

Pós-graduação em Segurança Pública, Direitos Humanos pela Cruz Vermelha e de Comando de Operações Aéreas, o deputado parabenizou os novos alunos que concluíram a primeira etapa de formação e lembrou que a inclusão de novos militares no sistema de segurança pública foi uma das suas principais bandeiras como parlamentar.

“A segurança pública do Acre precisa de novos combatentes. O Policial Militar precisa ser mais valorizado e respeitado. Toda tropa de militares e de soldados do Exército Brasileiro estão de parabéns pela força e a coragem de defender nossa terra”, concluiu Rocha.

Convocação, repassem para os amigos

O presidente da Associação dos Militares do Estado do Acre (AME/AC), sargentos Joelson Dias, no uso de suas atribuições, solicita a todos os militares listados abaixo que entre em contato URGENTEMENTE nos telefones 9958-6048/9246-8203 para tratar de assunto de interesse.


Alcinei Lima de Oliveira
Aldemir Monteiro do Valle
Aldemir Pinheiro dos Santos
Aldinei Lima de Oliveira
Aleilson da Silva Cordeiro
Antonio de Melo Pereira
Daniel Silva do Nascimento
Evandro Carvalho de Melo
Francisco Maia de Andrade
Francisco Moreira
Francisco Vaci do Nascimento Paiva
Frederick Lucio Mendes Marinho
Ivanilson da Silva Negreiros
José Carlos Alves das Chagas
José Lopes Pereira
José Maria Braga de Souza Braga
José Maria Rodrigues Veras
Jose Pinheiro de Alencar
José Ribamar do Nascimento Souza
José Roberto Vieira da Silva
Lauriano Felix de Morais
Lourenço Cruz Araújo
Luiz Claudio de Souza
Manoel Brito Filho
Marcelo dos Santos Saraiva
Marisson Silva de Souza
Mozarino Boaventura da Silva
Nerisvan Pereira da Silva
 Paulo Maia de Andrade
Radamés Freitas Brasil
Raimundo Edson Pereira dos Santos
Raimundo Freitas da Costa
Sebastião da Silva Costa
Sebastião de Almeida Bregense
Sebastião de Melo Pereira
Venicius Silva de Aquino
Zioney Carvalho Lima

Rio Branco - Acre, 25 de agosto de 2014

Joelson Dias - SGT PM
Presidente da AME/AC

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Associação dos Militares inicia os debates sobre mudanças no Quadro Organizacional da PMAC


A Associação dos Militares se reuniu na manhã de ontem, 19, com o subcomandante da PM, coronel Mário César, para iniciar as negociações sobre as mudanças necessárias no Quadro Organizacional da Polícia Militar. Esse foi o primeiro passo dado para que a proposta chegue ao Gabinete Civil do Governador.

A reunião que contou com a presença do presidente da AME, Joelson Dias, do vice-presidente Subtenente Silva Neto e do tesoureiro Rogério Silva, teve por objetivo realizar a primeira apresentação da proposta da entidade e buscar produzir uma proposta única.

- Sabíamos que o comando da PM possui sua proposta de reformulação de quadro. Sabemos também que os oficiais administrativos já possuem a sua. Mas os praças não estavam contemplados em nenhuma delas. A AME assume a responsabilidade de realizar a proposta para os praças e reforçar as propostas já apresentadas para que todos possam ter uma única proposta diante do governo, afirmou o presidente.

Joelson Dias acredita que a unidade entre as associações, clubes e representantes institucionais será um entrave a menos na busca de melhorias para a instituição, já que proporcionar a ascensão hierárquica é dar ao militar maior valorização profissional.

De acordo com informações repassadas pela AME, atualmente os terceiros sargentos e os soldados representam mais de 73% do efetivo total da PM e são esses que estão mais prejudicados pela não abertura de vagas para promoções.


- Parte das turmas de 1993 e 1994 ainda não foram agraciados com promoções. As primeiras turmas já estão com seis e segunda com cinco anos de terceiro sargento e não possuem perspectivas para ascender hierarquicamente, o que queremos é atender esses policiais e ao mesmo tempo proporcionar para o demais um aumento de esperança por promoções também, explicou o presidente.

A proposta da AME é de duplicar o quadro atual com abertura de 200 vagas para subtenente, 300 vagas para primeiro sargento e 500 vagas para segundo sargento. Mesmo com essa proposta, muitos terceiros sargentos que já possuem interstício não serão contemplados, já que as turmas de 2000 e 2002 teriam que esperar pela aposentadoria de militares hierarquicamente superiores para ter ascensão.


- Tudo isso mostra como o quadro está necessitando ser reformulado. O comando da PM, através do coronel Mário César, tem ouvido bem as propostas, mas o encaminhamento e o debate deverão acontecer mesmo é na Casa Civil, afirma o subtenente Silva Neto, vice-presidente da AME.

Rogério Silva frisou que os Militares foram contemplados com a mudança da Lei que proporcionou o acesso a 3º Sargento com nove anos de efetivo serviço, mas por outro lado a gestão de Comandos passados que não proporcionaram reformulações substanciais no Quadro.

Fonte: Assessoria da AME/AC
Texto: Sd PM W Mota
Fotos: Tiradas pelos policiais presentes no treinamento


Com o intuito de oferecer a melhor qualificação e preparo físico aos seus policiais, o comando do Terceiro Batalhão de Policia Militar (3°BPM), tem realizado semanalmente, no Circulo Militar de Rio Branco, localizado no bairro do Bosque, uma série de treinamentos e atividades físicas.

O treinamento que tem como público inicial, os policiais militares do Grupo de Intervenção Rápida e Ostensiva (Giro), consiste desde atividades físicas, como corrida e natação, até treinamentos de pilotagem e abordagem policial, fazendo assim com que os policiais militares estejam cada vez mais preparados, para o cotidiano do serviço na rua.

 
O idealizador do projeto e coordernador do Giro do 3° BPM, 2° Sargento Ernisio, conta que a idéia surgiu da necessidade da preparação e da qualificação dos profissionais que trabalham de moto. "Uma capacitação dessa do Giro é importante para o bom desempenho no trabalho da rua, pois o serviço de moto exige mobilidade e agilidade, no combate aos delitos, principalmente naqueles cometidos com o uso de motocicletas", explicou.


3°BPM Servir&Proteger
 

SEMPRE!!!

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

A pequena história do Homem Cara de Tartaruga: pequenos relatos



Não é mais uma daquelas histórias infantis que nos contavam em tempo idos. Não muito tempo, havia um homem que andava pelos corredores de um quartel policial em uma cidadezinha chamada White River. Vez e quando ele costumava se deslocar para outros lugares também. Mas o que caracterizava esse homem, não era o fato de se locomover de uma cidade para outra, mas sua semelhança com uma tartaruga e um traço de sua personalidade, sua prepotência.


Conta-se a história de que o Homem Cara de Tartaruga, um oficial policial que é candidato a federal do fantasioso estado do Erca, sempre quis estar à frente de um pequeno exército de humanos soldados leais. E conseguiu, se estabelecendo de cidade em cidade. Contudo, muito mais do que sua semelhança com o pobre animal, ele seria lembrado mais pelo desejo desenfreado de jogar futebol, e como gostava!!!


Alguns de seus soldados relatam uma história que se confirmou como verdade. O Homem Cara de Tartaruga era uma das pessoas que mais jogava bola no quartel de White River. Não porque tinha habilidade e seu time sempre vencia, mas porque sua arrogância e prepotência nunca permitiam que ele saísse de dentro das quatro linhas. Algumas regras eram básicas em seu campo. Primeiro, ninguém poderia ganhar de seu time, mas se ganhasse ele não poderia sair para esperar sua vez de jogar, "não fazia cerca", como geralmente se fala. Segundo, se desse um drible nele, o jogador poderia considerar-se preso. A cidadezinha tinha suas leis, mas o quartel tinha as leis que o ditador mesmo queria que tivesse.


Mas o Cara de Tartaruga era danado. Não se contentava com pouca coisa, ele queria mais. Não queria mais ficar somente com o quartel, era preciso tomar a cidadezinha. Como poderia fazer isso se precisava do apoio dos membros de seu quartel, daqueles que tanto ele perseguiu e humilhou? Dando uma de João sem Braço, passando a afirmar que sempre esteve com eles. Pronto. Era batata.


Articulado o plano, mãos à obra. É preciso ludibriar os membros do quartel de que ele mudou, aliás, sempre esteve ao seu lado. Mas é preciso cuidado para que as pessoas não lembrem que quando elas mais precisaram, ele não esteve por perto, na verdade nunca apareceu para nada. Como fazer para enganar as pessoas, Cara de Tartaruga? É preciso reavaliar os planos, não dá para mentir todo o tempo... Cara de oposição? Nunca teve. Pensamento de tropa? Somente para o próprio umbigo, mantendo a disciplina. O pobre quelônio precisa se reinventar.

E assim a história sem pé nem cabeça, esbarrou-se na candidatura sem pé nem cabeça do Homem Cara de Tartaruga, que deseja ser ainda o dono da cidadezinha de White River.