quinta-feira, 5 de maio de 2011

4 de maio no Jornal A Tribuna

Militares realizam manifesto hoje
Os policiais militares e do Corpo de Bombeiros promovem uma assembléia hoje (4) na Concha Acústica. A reunião da categoria está prevista para iniciar as 9 horas. A data escolhida para a manifestação da categoria que está insatisfeita com o valor do salário que recebe é em alusão ao dia 4 de maio de 2009. Na ocasião os militares e bombeiros reuniram-se em frente à Casa Rosada, onde funcionava o gabinete do então governador Binho Marques, e promovem um grande ato.
A mobilização de hoje tem o mesmo propósito que o da ocorrida há dois anos: mostrar para a sociedade a insatisfação com as perdas salariais e as condições de trabalho. Os militares informam que vão caminhando da Concha Acústica até a Casa Rosada, depois seguem para o pátio da PM.
De acordo com o sargento Jucinei, representante dos militares, na segunda-feira (2) as associações que representam os policiais militares e os bombeiros participaram de uma conversa com a equipe de governo na qual foi informado que na segunda-feira da próxima semana haverá uma reunião com os comandos sindicais do Estado.
Mesmo com a sinalização de uma reunião para discutir as reivindicações da categoria, os militares e bombeiros decidiram manter a mobilização programa, desde a semana passada, para este dia 4 de maio.
“Achamos a data muito distante e será uma reunião com todos os comandos sindicais, por isso solicitamos uma reunião em tempo mais hábil e só com a nossa categoria. Eles informaram que esta reunião poderia ser na quarta, mas mesmo assim decidimos manter a mobilização”, explica o sargento.
O blog utilizado por membros da corporação intitulado 4 de maio (www.4demaio.blogspot.com) ressalta a data que no mesmo dia da assembleia da categoria o governo fará uma reunião com os militares.
“Conforme havíamos divulgado, como parte da tentativa de desmobilizar o movimento dos militares acreanos, recebemos a confirmação de que a chefe do gabinete militar do governador, tenente coronel Margarete, marcou uma reunião geral com todo o efetivo. O oficial mandou convocar todos os militares, inclusive aqueles que estão de ferias e saindo de serviço”, informa o blog.

Comandante pede organização
O comandante-geral da Polícia Militar do Acre, coronel José dos Reis Anastácio, disse em entrevista durante o jornal Amazônia TV, da TV Acre, que acredita que o Estado e a Polícia Militar sairão vitoriosos desse impasse entre governo e categoria.
“Nós acreditamos na responsabilidade dos organizadores do ato e confiamos que será um ato pacífico, ordeiro. Já informaram que há uma caminhada e nós já pedimos que os comandantes orientassem os seus comandados, tanto da Polícia Militar quanto do Corpo de Bombeiros, para que esse ato seja o menos traumático possível, sobretudo para os nossos motoristas”, observou. (Nayanne Santana)

Governo marca negociações
Os militares serão a primeira categoria a sentar com o governo do Estado para as negociações anuais de reajustes. O calendário de negociações será divulgado na próxima segunda-feira (9), pelo secretário de Fazenda, Mâncio Lima Cordeiro, que fará uma exposição sobre a economia estadual e as limitações impostas pela Lei de Responsabilidade Fiscal.
“Na verdade, essas negociações já foram iniciadas e o comando já recebeu uma pauta de reivindicações que contém, inclusive, uma tabela de melhorias salariais elaboradas pela associação que representa os militares. Na próxima segunda-feira, o governo anuncia o calendário, e na quarta-feira os militares serão os primeiros a serem acompanhados nesse processo”, disse o coronel José Anastácio, comandante da Polícia Militar.
Os comandos da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, junto com o Gabinete Militar, a pedido do governador Tião Viana, serão os responsáveis por conduzir as negociações e intermediar todo o processo entre a associação dos militares e a equipe econômica. Segundo o coronel Flávio Pires, comandante do Corpo de Bombeiros, a principal reivindicação é a reposição salarial com as perdas do período e ajustes para algumas graduações que se sentiram prejudicadas nas negociações anteriores.
“O governador Tião Viana está muito sensível a todas as reivindicações do funcionalismo, de todas as categorias, e fará o possível para atender o que for reivindicado, mas ele não pode ser irresponsável e precisa agir dentro das limitações que estão impostas pelas leis e pelas condições econômicas do Estado”, explicou Pires.
Tião Viana já autorizou a contratação de 143 policiais militares. Serão convocados os candidatos aprovados no último concurso e que integram o cadastro de reserva. Também foi autorizado concurso para o Corpo de Bombeiros e o edital deve sair ainda neste semestre. O efetivo do Corpo de Bombeiros é de 341 homens e o da Polícia Militar ultrapassa os 2,6 mil homens.

COLUNA BOM DIA
Movimento politizado Foi inevitável transparecer o grau de politização do movimento dos militares que, em nível nacional, lutam para aprovar a PEC 300 e que, nas questões regionais agregam outras reivindicações. O governo do Acre sinalizou positivamente para as negociações se mantendo aberto ao debate. O movimento, no entanto, foi considerado fraco, quase inexpressivo. Ainda assim o senso democrático do governador Tião Viana autorizou sua assessoria a canalizar uma negociação que deve acontecer pelos próximos dias. Em Rondônia, o governo fez um acordo com os militares e deu um aumento de 5%, entre outras conquistas. No caso do Acre ainda é cedo para se estabelecerem parâmetros, mas com os entendimentos que podem ser desencadeados, será possível vislumbrar uma negociação positiva para ambos os lados. O deputado Major Rocha, da oposição, não conseguiu fazer proselitismo político com o movimento devido à fraca expressão dos manifestantes. O governador trata a questão com respeito e consideração, mas não abre da funcionalidade do sistema de segurança em prol da população.


Militares
O comando-geral da Polícia Militar do Acre qualificou como “insensato e desnecessário” o movimento que uma pequena parte da corporação preparou para ontem. De acordo com o coronel José dos Reis Anastácio, comandante da PM, o governo tem se colocado aberto ao diálogo e já na próxima segunda-feira (9), a equipe econômica vai se reunir com a categoria para discutir o reajuste salarial, a principal reivindicação.

Militares II
“No dia 25 de março, o governador Tião Viana convidou o comando da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, e todos os comandantes de regionais, para uma conversa franca e um momento histórico, num bate-papo que antecedeu as negociações salariais. Essa tem sido uma das características do governo: o diálogo baseado na transparência. Em nenhum momento os canais de comunicação foram fechados. Muito pelo contrário, diante dessa receptividade do governo do Estado, consideramos esse movimento como de conotação política e que em nada atende aos interesses da classe”, declarou.

3 comentários:

  1. Nova maneira de fazer POLITICA5 de maio de 2011 09:46

    Esse discurso infeliz do governo e cmt pode até enganar uma parcela da sociedade, mas saibam que não engana os militares que sabem o que passam diariamente em suas vidas e nós vamos a forra se for preciso! Se estes quiserem quitar todas as suas contas ao final do mês devem se matar de trabalhar durante o mês, não sobra tempo para a família e ainda passa uns dois meses para receber essa esmola de banco horas que não funciona como tudo nas instituições de segurança pública e com maior rigor na PM e BM por causa do maldito militarismo e hierarquia, mas seu fim está próximo! VIVA A LIBERDADE!!!!

    ResponderExcluir
  2. cel anestésico vá tirar serviço de RP pra dá valor suor.

    ResponderExcluir
  3. com certeza a próxima eleição é da oposição. demorou mas a população abriu os olhos.

    ResponderExcluir

Evite palavrões. Dê seu apoio, faça a sua crítica, mas com respeito a todos.