sexta-feira, 21 de setembro de 2012

A Política e a Politicagem na caserna e alguns questionamentos


As eleições, sejam para governo municipal ou estadual, sempre fazem emergir dentro da caserna a política e a politicagem. Acredito que nas mais diversas repartições do Acre não seja diferente. Dentro desse tema, meus caros companheiros de farda, quero deixar algumas observações e questionamentos. Antes de continuar, esclareço que essas linhas são fruto de conversas com vários policiais militares.

Afirmei que as eleições fazem surgir mais nitidamente a política e a politicagem. Como uma pessoa que busca o interesse da categoria em si e para si, usando os termos marxistas, desejava ouvir dos candidatos o que eles iriam fazer pela categoria se utilizando da autoridade de vereador. Não ouvi nada a respeito da parte de ninguém. Mas, o que me causou mais estranheza veio por parte dos candidatos da Frente Popular.
Sabendo que a tropa tem motivos de sobra para não gostar do PT, o que levou a alguns militares a se inserirem como candidatos por partidos que compõem a Frente Popular, regida com mão-de-ferro pelo PT? Interesse em ajudar a categoria? Aproximar-se do executivo para facilitar o diálogo?

Não foi o senhor Jorge Viana (PT) quem retirou o risco de vida dos inativos e pensionistas dos militares e depois, a duras penas, a gratificação foi re-inserida? Não foi o seu irmão, Tião Viana (PT), atual governador, quem mandou prender quase mil policiais militares por causa da paralisação nos dias 13 e 14 de maio de 2011? Não foi o atual governador quem pediu ao comando da PM que indiciasse 14 policiais pela manifestação a fim de que esses dias de paralisação não ficassem na história, como foi o dia 4 de maio? Por que não foram 13 policiais indiciados? Porque 13 é o nefasto número do partido, pegaria mal. E diante de tantas perguntas, sabe qual foi o dia escolhido para que os militares fossem ouvidos? 13 de setembro, o mesmo dia que o senhor Tião Viana anunciou a isonomia do risco de vida, com o objetivo de que o anuncio apagasse o que se passava no Fórum Barão de Rio Branco com os verdadeiros heróis da Isonomia. Por que, então, existem militares que ainda se filiam e saem candidatos por partidos da Frente Popular? Nada podemos afirmar como certo, mas é uma pergunta interessante a se fazer para eles.

Dias atrás, encontrei-me com a sargento Rosa Maria, candidata pelo Partido Comunista do Brasil (PCdoB), na Praça do Colégio Acreano, no centro da cidade. Ela fazia campanha, me reconheceu e veio pedir o meu voto. A conversa transcorria bem, até que falei que votaria no subtenente Veríssimo, pois já havia dado minha palavra. Ao ouvir isso, ela mudou de fisionomia e passou a atacar não somente o candidato, mas também ao deputado Rocha. “O que foi que ele fez pela PM?”, indagava ela esbravejando. “Ele é um traidor, ele é da oposição por isso a gente não ganha nada”, continuou.

Participei da manifestação nos dia 13 e 14 de maio de 2011 e não me lembro de ter visto a senhora Rosa Maria, e pelo que sei, o sargento De França (PPL) estava em casa ou aquartelado. Aliás, não lembro de nenhum candidato da Frente Popular no dia da manifestação, dia em que precisamos de lideranças, aliás, é injusto da minha parte, não os reconheço como lideranças. Deixemos por aqui.

Permita-me voltar ao diálogo com a Rosa Maria. O que os deputados da situação fizeram por sua categoria? O que o Eduardo Farias, do partido de Rosa Maria, fez pelos médicos? O que o Tião Viana fez pelos médicos? O que o Walter Prado fez pela sua categoria, a Polícia Civil? Converse com os agentes ou com os médicos do sindicato que eles dirão: nada. Eles não poderiam facilitar a conversa? Por que isso não aconteceu? Por que sua categoria saiu perdendo? Essa conversa de que uma pessoa da situação favoreceria em processo de negociação é falsa, não cola, temos exemplos práticos disso. O deputado Major Rocha, a quem tenho minhas críticas, está fazendo um belo trabalho como parlamentar, está denunciando, está apresentando projetos, e não tem se rebaixado ao nível de Rosa Maria, que tem desferido ataques constantes e injustos. Quero que o deputado passe mais nos quartéis, apresente mais projetos, embora não sejam aprovados, eu me sentirei bem representado, como me sinto agora, e o voto da minha família vai ter.

Bem, entre palavras e palavras, bastou conversar com Rosa Maria por alguns minutos para distinguir claramente a Política da politicagem. Quem não tem nada a falar de si, fala dos outros.

Preserve minha identidade caro administrador, esse povo é perseguidor.

Complementação do Blog 4 de Maio



Essa foto foi tirada no dia 21 de janeiro de 2012, hoje é 21 de setembro, oito meses foram suficientes para Rosa Maria esquecer a ajuda que o Deputado Major Rocha deu quando ela estava presa na Companhia de Guarda Penitenciária. Será que ela não iria esquecer de você também? Pense nisso.

13 comentários:

  1. Não sou a favor de termos policiais metidos a politicos, pois, acho que primeiro temos que ser policiais, e o que estou vendo é na verdade algumas pessoas que se dizem policiais querendo se meter em politica, como é o caso dessa tal de Rosa Maria, Verissimo, e tantos outros que nunca fizeram nada pela policia e agora estão dizendo que vão mudar o mundo, será que já não basta a experiencia do Vieira (que não fez p.... nenhuma)? a PM não precisa mostrar sua força para ninguém, pois, isso já foi feito nas paralisações e quando elegemos o inutel do Vieira. Devemos agora nos concentrar para reeleger o Major Rocha e elegermos um deputado federal, esses sim podem fazer alguma coisa pela classe. Vereador só serve para ganhar seu salário e ficar coçando o s...

    ResponderExcluir
  2. então para Federal temos um nome maravilhoso,pensem neste nome:Cel.Nascimento.Cruzeiro do Sul apoia.

    ResponderExcluir
  3. Bom dia Rosa Maria, pra vc ver como são as coisas, vc que foi ajudada pelo Maj. Rocha um dias desses já esqueceu imagine um voto dado a você, quando for antes do primeiro ano de mandato você nem olha mais pros policiais militares, (um bocado comido é esquecido, mais só pra quem é mau agradecido como você).

    ResponderExcluir
  4. Boa ideia meu amigo anonimo, esse sim é verdadeiramente um bom nome, o Cel é gente boa mesmo, e sempre esteve do lado dos praças, e fez muito pela PM, onde passou comandando deixou amigos e sempre é bem conceituado. Vamos concentrar nossas forças para eleger esses nomes, Major Rocha e Cel Nascimento, e esquecer esses candidatos a vereadores inúteis que só querem é ficar afastados da PM para ficarem coçando seus sacos!!!!

    ResponderExcluir
  5. Guerreiro do 5º BPM22 de setembro de 2012 17:47

    Postei meu comentário ontem; por que não postaram???

    ResponderExcluir
  6. Concordo....eleger os dois.

    ResponderExcluir
  7. Concordo com o anônimo. Não precisamos provar mais nada, somos capazes de eleger mais de um deputado estadual e mais um federal. Verador não nos interessa. Contudo, precisamos votar em um deles. No meu ponto de vista é a partir de Vereador que poderemos visualizar quem poderá ser nosso outro candidato a deputado estadual, se necessário, já que Major se fortalece a ser nosso futuro Deputado Federal. Acredito que quando temos compromisso com uma categoria independe se está na situação ou na oposição, o que precisa-se é se impor como representante daquele segmento e pronto. Até acredito que seria interessante ter representante de ambos os lados.
    Com relação essa campanha de baixara (um falando mal do outro) sou radicalmente contra. Precisamos nos unir e respeitar as convicções partidárias. Claro convicções, mas focados na categoria que os elegeu. Tenho observado um certo ataque ao Major Rocha por conta de ser uma oposição atuante e até radical, mas tenho o defendido com o argumento de que não tem uma outra saída a não ser essa. Primeiro por que ele é odiado por toda a cúpula da FPA; e segundo a frente tem maioria absoluta, não depende do voto do Major prá nada. Se ele pudesse fazer a diferença nas votações era uma outra coisa. A FPA não precisa de seu voto pra nada. Portanto, resta ao Major atuar desta forma.
    Com relação aos nossos candidatos nesta campanha, entendo que a maioria tem visado interesses particulares e partidários, e deixando os interesses institucionais em 2º plano. E que queiramos ou não, mesmo não sendo do partido que nos interessa, o nosso autêntico candidato, é o Sargento de França. Este sim teve coragem de se submeter ao crivo dos sócios da AME, enquanto os demais fugiram desse processo democrático, inclusive meu amigo Veríssimo e minha amiga Rosa, que teriam claras possibilidades de ser o escolhido, mas temeram ou não quiseram desobedecer ordens da cúpula de seus partidos. ESSA É A PURA VERDADE! Todavia, torço que possamos eleger um vereador para continuar mostrando nossa força, mas acho difícil neste pleito. Votos pulverizados demais. DESCULPE MINHA SINCERIDADE.

    ResponderExcluir
  8. Tudo balela, ninguém fez nada pela PM

    ResponderExcluir
  9. Não me venham com candidatos que nunca fizeram nada pelos policiais, nunca tiveram coragem de por a cara a tapa em uma manifestação, muito querem ser defensores dos PMs depois que vão para reserva, ai fica muito fácil. Quando estão na ativa, humilham os policiais, são omissos ao verem colegas sendo injustiçados e coadunam com irregularidades na caserna.
    Briguem, lutem, defendam os praças e depois tragam os vossos nomes para que possamos apoia-los, antes disso não nos façam perder nosso tempo em analisar vossos nomes.

    ResponderExcluir
  10. tem muito é policial puxa saco,ví até alguns balançando a bandeira do PT,UMA VERGONHA,mas estou aqui para defender o MAJ.ROCHA se fosse muitos dos que o criticam,já tinha se vendido pro PT,como fez narciso e outros,também tenho minha criticas ,mas quem não tem?,agora pra candidato a vereador digo e aposto,a PM não elege nenhum,os que poderiam ganhar ,mostraram não ter vergonha na cara ,em sair pela frente popular,se ganhassem ficariam igual o ultimo cmt,que todo mundo esperava muito dele por ser combatente,e saiu da gloriosa,como uma decepção da PM,mas está no mp,o pior de todos é o vieira,perdí meu voto com projeto de serol,kkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  11. "O que me assusta não são as ações e os gritos das pessoas más, mas a indiferênça e o silêncio das pessoas boas."
    Martin Luther King.

    ResponderExcluir
  12. Não voto no PT, eles podem me dar até ouro em pó mais nunca esquecerei os dias que fiquei preso por lutar por um salário melhor para sustentar a minha família. Quanto a Rosa e aos outros candidatos da Frente Popular eu queria que eles falassem dos seus planos e do que irão fazer pelos policiais, porque até agora não fizeram nada. Vou votar no Sub Verissimo só porque ele está sendo processado por estar na mesma luta que eu, por ele estar sendo injustiçado por brigar pela minha família, pela dele próprio e pela nossa. Voto no Major quantas vezes ele se candidatar.

    ResponderExcluir
  13. Caro companheiro, acredito que vc não me conheceu na ativa. Sempre tive um bom relacionamento com praças, até porque minha vida de caserna, em sua maioria foi de praça (19 de praça PM, 01 de praça do EB e demais tempo de oficial). Você não sabe que fui preterido em 2 concursos para oficiais, por defender concursos de oficiais para praças, já que a corporação priorizava o ingresso de oficiais da reserva do EB.. Fui por duas gestões membro de diretoria de clubes. Mesmo chegando ao oficialato sempre tratei com respeito e urbanidade meus subordinados. Estou na reserva, não tenho pretensões de candidatar-me a cargo eletivo e, tampouco, cargos em gabinetes de parlamentares. Pelo fato de está na reserva poderia acomodar-me e virar as costas para as causas da caserna, como faz a maioria. Mas me revolto quando vejo radicalidade de oficiais e de praças também. Conheço graduados que são mais exigentes que oficiais.

    ResponderExcluir

Evite palavrões. Dê seu apoio, faça a sua crítica, mas com respeito a todos.