sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Instrumento moderno, prática antiga

PM é flagrado roçando terreno pertencente ao Gabinete Militar


De acordo com a Constituição Federal, a Polícia Militar tem como função o policiamento ostensivo objetivando a ordem pública, contudo, o Gabinete Militar do Governador encontrou outra função para um soldado pertencendo ao seu efetivo.

De acordo com umas fotos retiradas por um de nossos leitores, um militar encontrava-se em gritante desvio de função, roçando um terreno no local onde funciona o gabinete.

- Passamos mais de nove meses em formação, que não foi das melhores, mas aprendemos muitas coisas para no fim roçarmos quintal. Esse companheiro de farda é o roçador que melhor ganha no Acre, ironizou o denunciante.

Os amigos internauta já viram um agente de polícia federal ou estadual ser escalado para capinar ou roçar quintal? Já viram um enfermeiro com um roçadeira baixando o capim do terreno da Fundacre?, só a PM mesmo. Esse é um mal que não deve ser aparado, mas cortado pela raiz.

O desprestígio

A coronel Margarete, chefe do Gabinete Militar, rema contra a maré rumo ao atraso. Enquanto a Associação dos Militares (AME) e a Associação das Praças do Corpo de Bombeiros (Aprabmac) se esforçam para terceirizar os serviços de limpeza através de contratos institucionais, ainda se encontra exemplos como esse.

- O gabinete Militar pagaria no máximo 15 reais para esse tipo de serviço. Será que dos quase 20 mil que a coronel ganha não daria para retirar esse pouco e ajudar a uma pessoa que realmente depende de uma roçadeira para sobreviver?, indagou nosso internauta.

Para piorar a situação, o PM sequer está com equipamento de proteção como o óculos especial e caneleiras. O uniforme do militar é o de educação física similar ao que foi usado no curso de formação de soldados em 2009.

Uma cultura de subalternos 


Essa questão é bem mais séria e reflete bem o que um segundo-tenente do quadro de combatentes afirmou de forma acertada:

- Os militares possuem um complexo de inferioridade, algo enraizado na cultura da instituição. Quando os policiais estão sob minha responsabilidade não são cozinheiros, roçadores ou carregadores de peso, são policiais militares.

O oficial pontua que mesmo em reuniões com membros do governo, os oficiais pouco levam críticas para melhorar os serviços. Raras vezes se ouve uma voz contra ou que reivindique melhores condições de trabalho.


- Em todo esse meu tempo de PM, ouvi apenas dois oficiais falarem alguma coisas contra os membros do governo, por incrível que pareça um era o coronel Paulo Cezar e o outro o major Douglas. Quando pedimos que respeitem a hierarquia e a disciplina, pedimos, no fundo, que respeitem essa cultura subalterna e que não questionamos. Muitos soldados e sargentos têm mais coragem do que a gente, revelou.

7 comentários:

  1. Pior se fosse no terçado!!!!! kkkkkk

    ResponderExcluir
  2. Capitão PM RR Mário2 de dezembro de 2011 15:58

    Cadê o suprimento de fundos do Gab Mil? Esse dinheiro é exatamente para essa pequenas despesas. Mas ainda acho que o grande culpado disso é o próprio Sd, que poderia, de forma educada e respeitosa, dizer não, que não estaria ali pra esses serviço. Major os tempo mudaram!

    ResponderExcluir
  3. quem tem burro não compra cavalo

    ResponderExcluir
  4. e por isso que nosso dignissimo governador não quer conceder o nível superior, pra que nossos arrogantes superiores nos humilhem no cotidiano.

    ResponderExcluir
  5. Caros senhores, lamentavelmente pode-se culpar o próprio policial, e certamente ele tem culpa! Já que temos uma legislação própria que nos atrela a certos desmandos de superiores que, na sua íntima boa intensão, querem fazer o melhor para o "bem de todos". Somos profissionais em Segurança Pública e, infelizmente, muitas vezes no próprio curso de formação, jogam para nós funções e valores desvirtuados que, mutilam nossa dignidade. Quanto mais na própria cazerna. Chega de estupidez, nosso amigo policial não tem culpa alguma de tal desmando, pois foi ensinado a ele que, por ser militar, está sujeito a uma legislação arcaica (que ainda está em vigor). E vcs, caros militares, acham que alguma autoridade, superior ou quem quer que seja, liga pros desmandos militares? Liga não! É complexo? Claro! Porque é a pura verdade! Ainda bem que o soldado não disse não. Imagina uma punição "administrativa" por desobediência ou até pior. Sabemos que retaliação é uma prática usual na nossa instituição!!!

    ResponderExcluir
  6. O Pior que nem O EPI, ele está usando absurdo!

    ResponderExcluir
  7. Outro dia eu fiquei pasmo; vendo um "caveira" correndo com um cachorrinho poodle na coleira; vendo a cena comecei a rir; quando o militar se aproximou (no parque da maternidade) eu disse: oxente caveira, bem que podeira ser um rottweiler ou um labrador, quem sabe até um PITBULL, mas um poodle. Ele retrucou: não pow, não é nada disso, este cão é da casa do (*******)(político da FPA) e o bixinho está acima do peso e tem que fazer atividade física (segundo o seu veterinário) e como eu sou da segurança do Gabinete, sobrou pra mim acompanhar o bixinho.
    chupa essa manga milico!

    ResponderExcluir

Evite palavrões. Dê seu apoio, faça a sua crítica, mas com respeito a todos.