sexta-feira, 21 de junho de 2013

Em Cruzeiro do Sul

Suspeitas de Improbidade Administrativa em Cruzeiro do Sul


Estimamos o Blog 4 de Maio porque há muito tempo se tornou a voz daqueles que não podem ter voz, ao passo que recorremos a ele para tratar sobre uma forte suspeita de Improbidade Administrativa que está acontecendo aqui em Cruzeiro do Sul. Durante algum tempo estou acompanhando a publicação das escalas de serviço do 6º BPM e tenho percebido que alguns oficiais são escalados para trabalharem no Presídio, mas não comparem ao local de serviço, o que caracteriza que está havendo favorecimento para alguns oficiais ganharem dinheiro pela atividade penitenciária, sem trabalhar como previsto em escala. Gostaria que o Comandante da Polícia Militar, Coronel Anastácio, que é uma pessoa séria, tome providências, porque é injusto com a instituição e com a sociedade. Qualquer coisa, nós temos as escalas de serviço e em conversa com os policiais ele podem comprovar que muitas das pessoas que possuem os nomes nas escalas nem pisam na Penal para tirar serviço. As escalas também foram enviadas para DF (Diretoria Financeira).

Gostaria que vocês mantivessem meu nome em sigilo, pois aqui em Cruzeiro a perseguição é muito forte. Estamos investigando agora o uso indevido de combustível, pago pela PM, em barco de particulares, para levarem passageiros e policiais para os municípios atendidos pela 6º BPM.

9 comentários:

  1. A isso e uma gestão padrão desses comandantes do CPO II, e porque aqui também faz parte do CPO II e nesse quartel aqui aqui aqui aqui aqui também tem isso deem uma passadinha aqui e vejam na escala e ver se oficiais escalados como chefe de penal pisa ao menos la. A já que ta na merda, olha esses negócios de banco de horas também que virou foi uma palhaçada onde uma panelinha tira muitos e outros quase nenhum e só vim e conferir a escala venham nesses batalhões ai e vejam e façam uma planilha e conversem com os policiais e comparem a quantidades que uns tiram e outros não tiram, e uma verdadeira palhaçada apadrinhamentos, uns não trabalham e uma verdadeira lambança ta na hora de mudar.!!!!! e não adianta querer punir por esse comentário não que e só pegar as escalas e perguntar a uns dois ou três PMs que tenham coragem e confirmar. E perseguição aqui se ao menos imaginar de onde estamos falando o nome de um ou quatro policiais e logo colocado em jogo, e o suficiente para o comandante passar uns dias com raiva de alguns, imagina se colocasse aqui onde e. O engraçado que agente ver no portal da PMAC e batalhões treinando tiros e nos aqui do CPO II o que vemos e isso e aqui quando se fala em fazer um treinamento desses aqui aqui aqui se fala logo que só um tal de preto que vai fazer dizem logo assim falei com o sgt fulano de tal e ele já falou com o comandante não vou nem falar o qual e a patente do comandante pra eu ter paz se não to fudido em perseguição a e aqui tem coisas mais graves que eu não vou nem tocar mas ta pra explodir.

    ResponderExcluir
  2. O CASO REALMENTE EXISTIU,PORÉM,EM ALGUMAS ADMINISTRAÇÕES PASSADAS.ENTRETANTO, NOS ULTIMOS COMANDOS DE MAJOR ALVES E DE TEN CORONEL AIRES GARANTO QUE ISSO NÃO ACONTECE! ESPERO QUE O DENUNCIANTE SEJA PUNIDO POR SUAS ACUSAÇÕES INVERÍDICAS!!

    ResponderExcluir
  3. Cara tem fortes suspeitas de haver gente ganhando banco d hrs sem trabalhar para isso em czs

    ResponderExcluir
  4. Isso não é de hoje não faz muito tempo que isso acontece inclusive o sub- cmt. do batalhão é um que há muitos anos recebe e nunca vai na penitenciária só quer dá ordens absurdas e quer que os subordinados acatem, chega a hora que quer e sai a hora que quer do batalhão e quer exigir que os subordinados cumpra horário.Se querem saber quem é o sub. cmt. do batalhão conversem com os praças separadamente que eles lhe dirão quem é a cobra e o que ele faz dentro do quartel.

    ResponderExcluir
  5. se no comando do Maj. Alves era que existia mesmo pois policiais femininas nem apareciam na penitenciaria e recebia as bases de calculo.

    ResponderExcluir
  6. O batalhãO de cruzeiro do sul está de parabéns por ter em seu comando uma pessoa íntegra a sua frente.O mesmo repudía estes tipos de práticas no seu batalhão.Espero que a pessoa que fez esta denúncia mentirosa seja punido pelo seu comandante,15 DIAS AINDA É POUCO!DÊ 20 CORONEL!!

    ResponderExcluir
  7. É incrível como nós cruzeirenses nos apegamos e perdemos tempo com fuxicos. Eu sei o que é isso: Estes miseráveis difamadores só podem estar com saudade da época do comando do Maj Neto, um comandante omisso que deixava a soldadesca entregue à sanha maligna do Saddan Hussein (Cap Silva) e do Malveira. Aquilo sim, era perseguição. Dois ditadores que o tempo se encarregou de enterrar. Cel Nascimento, Maj Alves, Cel Aires? Até que me provem o contrário, São homens de conduta ilibada.
    Se existe problema, e é possível que exista, pois se entre os homens de Jesus,que era Jesus,e que não chegava a um pelotão, havia um pilantra, imagine por aqui.
    Presenciou ou foi informado de de alguma infração ocorrendo dentro da corporação, algo possível de provar? Procure a corregedoria, a promotoria, denuncie onde e para quem de direito.
    Policiais assim, que falam pelas costas, são tão desonestos quanto os possíveis desonestos denunciados. São os mesmos que divulgam dados sobre o armamento e a segurança dos quartéis sem pensar que os pilantras podem usar tais informações contra os irmãos que estão nas ruas e que realmente trabalham.
    O meu comentário vai anônimo porque não tenho procuração para defender nenhum dos comandantes citados nos comentários.
    Que vergonha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. deixa de ser BABÃO! BABA OVO!!!!!

      Excluir
  8. Aqui em Cruzeiro do Sul tem vários mamando nas têta ainda hoje e fica doido de raiva quando alguém toca no assunto.Cara ganhando vários banco de hora ao mês onde muitos não fazem nenhum.Cara que chega a hora que quer no quartel sai a hora que quer ninguém diz nada.Tira serviço o dia que quer.

    ResponderExcluir

Evite palavrões. Dê seu apoio, faça a sua crítica, mas com respeito a todos.