segunda-feira, 12 de julho de 2010

1º BPM

Coronel Lúcia decide fazer racionamento de gasolina

Um dos males ambientais na atualidade sem dúvida alguma se encontra na queima de combustíveis fósseis. Diante de tal situação, a determinação da coronel Lúcia Ugalde de racionalizar gasolina no Primeiro Batalhão da Polícia Militar seria interessante não fosse um detalhe: a polícia não tem como prever o numero de chamadas vindas do CIOSP.
De acordo com os policiais, as ordens da coronel é de que o abastecimento das viaturas deva acontecer nas segundas, quartas e sextas-feiras.
“Não temos como prever o quanto a população vai precisar de nossos serviços. Às vezes, temos poucas chamadas, em outros serviços, porém, não paramos de atender ocorrências”, afirma um policial.
Não é novidade encontrar em algumas noites viaturas estacionadas no pátio do Quartel do Comando Geral (QCG) com os militares preocupados com a falta de gasolina, como nossa equipe de reportagem constatou.
“A ordem é parar, quando vermos a falta de gasolina indicada no painel do carro, temos que nos recolher antes que sejamos obrigados a empurrar a viatura”, afirma um soldado.

Uma escala desumana

Desde que assumiu o comando do Primeiro BPM, Lúcia Ugalde tem tomado decisões que em nada agrada os policiais. Semanas atrás, a coronel reuniu todo o efetivo para anunciar algo que não é novidade naquele batalhão: o aperto da escala de serviço. Segundo ela, o índice de criminalidade havia aumentado de forma considerável na área do batalhão.
“Não entendo como ela quer diminuir o índice de criminalidade se ela escala algumas viaturas para fazer PB (Ponto Base) em alguns lugares com o giroflex ligado somente para fazer a vontade do governo. Não foi feito nenhum estudo para isso”, afirma um sargento.

4 comentários:

  1. pior comando da pmac,cel lucia,tem unanime regeição no 1bpm,falta de conhecimento na pele,e muita teoria,o que vem atrasando nossa pmac é a promoção por merecimento para oficial,pois desde então estão vendendo até a mãe,para serem promovidos,só que o futuro a DEUS pertence,não adianta está cheio de dinheiro,e ter uma doença que o dinheiro não cura

    ResponderExcluir
  2. BOMBEIRO CARLOS FONSECA13 de julho de 2010 09:18

    Representem contra ela !

    ResponderExcluir
  3. Não consigo entender porque na Polícia Civil, há muito tempo, a jornada de trabalho regulamentar é cumprida (24h X 72h) e somente na PMAC isso não se cumpre. Porque mesmo, heim?! E isso, pelo que sei, é desde a mais tenra idade da Corporação Estadual, 1974. São 36 anos de Cmt insensíveis.
    Cadê a AME? A solução é mesmo ROCHA, PORQUE ELE É DE ROCHA.

    ResponderExcluir
  4. E ainda tem PM que empurra viatura sem combustível? não posso acreditar nisso.

    ResponderExcluir

Evite palavrões. Dê seu apoio, faça a sua crítica, mas com respeito a todos.