quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Isonomia do Risco de Vida

Por Isaque XImenes, presidente da AME/AC





Nos últimos dias diversos militares procuraram a sede da AME, preocupados com a garantia do pagamento da isonomia do risco de vida, prometido pelo governo do Estado para começar a partir do mês de maio de 2013.


Segundo relatos dos militares, certo deputado da base governista, havia comentado que a isonomia do risco de vida estaria comprometida, pois de acordo com o mesmo não havia nenhuma previsão para o pagamento na LDO 2013, em processo de apreciação e votação na Assembleia Legislativa.

No entanto, a diretoria da Associação dos Militares, teve acesso ao projeto de Lei de Diretrizes Orçamentarias - LDO e com certeza estão previstos, no referido projeto, todos os gastos com pagamento de pessoal, seja no tocante a reajuste salarial, realinhamento, reclassificação ou ainda contratação de pessoal. Então, constatou-se que o nobre deputado, que fez tal comentário, não tinha conhecimento do conteúdo da Lei.

Por determinação da Constituição Federal de 1988, o executivo deve definir cada ano suas metas e prioridades para o exercício financeiro subsequente, e o faz por meio da Lei de Diretrizes Orçamentárias.

A Lei Orçamentária Anual (LOA) é o orçamento propriamente dito, ou seja, a previsão de todas as receitas e autorização de despesas públicas, apresentadas de forma padronizada e com varias classificações.

Define as fontes de receitas e despesas por órgãos e por função, expressas em valores. Contém os programas, subprogramas, projetos e atividades que devem contemplar as metas e prioridades estabelecidas na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), com recursos necessários ao seu cumprimento.

8 comentários:

  1. Quero saber do 14º, pois ja saiu o contra cheque e o mesmo não está incluido.

    ResponderExcluir
  2. 10 passos para se tornar um comandante mediocre.

    1º PASSO - SER O COMANDANTE QUE NÃO COMANDA
    Ele tem como única preocupação o usufruto das regalias do cargo, desempenhando com maestria os simbolismos da função, mas sendo incapaz de fazer sentir a sua liderança (se é que tem) tanto quanto é incompetente para conquistar o respeito voluntário de sua tropa.

    2º PASSO - NÃO SER EXEMPLO DE LIDERANÇA
    Aquele comandante que nenhum outro comandante em níveis hierárquicos subordinados gostaria de seguir os passos. É aquele que:- Acha que o problema são os outros. - Não exerce influência sobre a tropa. - Não sabe quando assumir a responsabilidade.

    3º PASSO - NÃO SABER OUVIR
    Ouvir é o instrumento básico do relacionamento humano. Ouvir para conhecer. Ouvir para prestigiar. Ouvir para incentivar. Ouvir para amadurecer. Ouvir para decidir. Conhecer o subordinado; prestigiá-lo como pessoa; incentivá-lo à participação. Amadurecer para decidir. Decidir para comandar! "O comandante que não sabe ouvir é o mesmo que:

    - Nomeia as pessoas certas para as funções erradas.
    - Não sabe usar o poder mágico das palavras.

    4º PASSO - NÃO TER UM OBJETIVO E UM SENTIDO PARA O SEU COMANDO.
    Um comandante precisa articular uma meta comum que inspire a sua tropa a se empenhar em conjunto. Além de ser capaz de angariar o apoio coletivo. Para ser medíocre, também:

    5º PASSO - CRIAR UM CLIMA DE DESCONFIANÇA

    Esta condição gera uma disputa interna por cargos e funções. Trata mal o portador das más notícias e com medalhas os bajuladores.
    - É incapaz de proteger a sua tropa contra os políticos.

    6º PASSO - BUSCAR ELOGIOS E NÃO RESULTADOS
    Estes comandantes estão preocupados simplesmente em livrar as suas peles e manter as suas gratificações pelo maior tempo possível. Este comandante:
    - Acredita que as boas idéias só podem surgir na cabeça de coronéis.
    - Não desafia a sua tropa para superar os limites.

    7º PASSO - NÃO ASSUMIR RISCOS CALCULADOS
    Não compreende que atualmente as Corporações devem, para permanecerem vivas e fortes, elogiar e promover aqueles que correm riscos, mesmo que fracassem de vez em quando. Aqueles que nunca erraram nunca fizeram nada para melhorar a Corporação. Estes comandantes também:
    - Preferem as pessoas que seguem o padrão do que aquelas que pensam por si mesmas.
    - Não dão oportunidades aos profissionais promissores.

    8º PASSO - NÃO PREPARAR O SEU PESSOAL
    Estes comandantes menosprezam os treinamentos, pois querem simplesmente ver o pessoal em postos de serviço para dar uma satisfação aos políticos.

    9º PASSO - ESTIMULE A DESUNIÃO
    O comandante que não é justo no estabelecimento de punições ou, pior ainda, na concessão de prêmios e condecorações, beneficiando preferencialmente os peixes que se estruturam pela bajulação, em detrimento dos que realmente estão correndo os riscos da atividade policial, gera um clima de descontentamento e desunião no seio da tropa.

    10º PASSO - NÃO SE PREOCUPE COM A QUALIDADE DE VIDA DE SUA TROPA
    Os comandantes que não têm a menor preocupação com as condições de moradia, saúde, educação, lazer e salarial de sua tropa, não se preocupando com fatores importantes como: escala de serviço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parabéns pelo brilhante comentário, vc relatou o que se passa em toda a policia militar, seja na capital como no interior.

      Excluir
  3. gostaria de deixar aqui minha pequena lembrança que o ano da SEGURANÇA esta passando, se esse era o ano da segurança publica esta assim, imagine agora sem ser o ano da segurança como nao vai ser meu Deus que pena que so sobra para a categoria mais sofrida adivinha qual e.

    ResponderExcluir
  4. Vc Arrancou as palavras da minha boca falando isso, kkkkkkkkkkk.
    Se o ano da segurança foi assim, sem gasolina para a RP e as rondas, duodécimo diminuído, sem fardamento, imagine 2013, Valeime São Sebastião!

    ResponderExcluir
  5. Acho que o nobre Governador vai fechar o ano com chave de Ouro. No ano da Segurança Pública. Vai deixar de pagar para os PMs e BMs o Prêmio Anual de Valorização e o 13° Salário.

    ResponderExcluir
  6. Alguém sabe responder se o prêmio anual de valorização está confirmado?

    ResponderExcluir

Evite palavrões. Dê seu apoio, faça a sua crítica, mas com respeito a todos.