quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Defendendo seus próprios interesses

Desembargador alagoano James Magalhães chama policiais que prenderam seu filho, Henrique Manso, de urubus de farda


TJ-AL determinou ontem o trancamento da ação contra o filho do desembargador


Vários policiais militares ouvidos pela reportagem do Cadaminuto estão revoltados com a declaração dada ontem pelo desembargador James Magalhães classificando como urubus de farda os policiais que detiveram na dia 1 de outubro deste ano Henrique Manso, ex-prefeito de Paripueira e filho do desembargador Orlando Manso.


O ex-prefeito tinha sido preso no Barro Duro após ter sido flagrado portando uma pistola calibre 380 que estava registrada em nome do desembargador Orlando Manso, os policiais disseram ainda que Henrique reagiu a abordagem e ofendeu os policiais que só pararam o carro após a caminhonete que estava sendo dirigida pelo político ter impedido a passagem de uma viatura.
Durante a sessão até o representante do Ministério Público, Luciano Chagas fez duras críticas a atuação da corporação e lembrou do caso do filho do deputado Antonio Albuquerque se dizendo indignado com o uso das algemas.
Mas foi o desembargador James Magalhães, que foi flagrado, durante a Operação taturana, em um telefonema para um deputado, que é parente de Henrique Manso, pedindo emprego para um parente que acabou sendo mais duro.
“Temos que agira para que estes urubus de farda não venham cometer estes abusos” disse ele que ainda insinuou que a atuação da PM contra filho de autoridades é diferente nesta gestão.Na ocasião Henrique Manso foi solto após pagar R$ 1, 7 mil e ontem ele ficou livre do processo que foi trancado por unanimidade pelos desembargadores da Casa.


9 comentários:

  1. A qui no Acre não é diferente, basta lembrar o caso do Sgt Mauro Jesus. Lembro que o Subcomandante da PM (Cel Ramalho) tentou até marcar uma recosntituição de infração de trânsito para agradar a Desembargadora.

    ResponderExcluir
  2. É assim que a justiça funciona, não só em Alagoas, mas também no Acre e em todo o Brasil.
    ISSO É UMA VERGONHAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. De uma coisa eu tenho certeza: não se constrói uma Nação com uma justiça dessas.
    Temos apenas um país em que somos meros pagadores de impostos para um grupo de burgueses que controlam a justiça e a política!
    Mas isso vai ter q acabar!
    Não aguentamos mais tanta humilhação!

    ResponderExcluir
  4. PUTZ!!! DIZER O QUE DESSA CANALHICE?

    ResponderExcluir
  5. JUSTICEIRO.

    Um "Desembargador" desse ,não é digno nem de críticas.Nogento!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  6. Para o Brasil se transformar numa Democracia de fato é necessário REFORMAR E MUDAR o JUDICIÁRIO E as POLÍCIAS!
    Como muito policiais mesmo dizem "são instituições centenárias!"
    É esse o principal motivo de tanto atraso, corrupção, desrespeito e injustiças...
    De "centenárias" essas instituições devem ser "modernas", "ágeis" e "eficientes", ou seja, tudo aquilo que o militarismo despreza!
    -"Você é novinho, moderno ainda tem muito serviço pra tirar e já quer mudar a polícia!"
    Os juízes novatos ouvem a mesma coisa.
    Algo tem mudar rápido nesse Brasil...

    ResponderExcluir
  7. ASSISTAM NO YOUTUBE O VIDEO ""GREVE DA PM TO"",SERVE DE MOTIVAÇAO PARA PMS,BMS E PCS PARALIZAREM TODO O BRASIL,SO ASSIM A PEC 300 SERA APROVADA.

    ResponderExcluir
  8. ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO... MAIOR "BALELA" DA HISTÓRIA DO BRASIL! NOSSA SOCIEDADE É EXTREMAMENTE HIERARQUIZANTE, DIVIDIDA EM CASTAS (ALGUMAS INTOCÁVEIS) COMO A DO JUDICIÁRIO E SEUS PÚSTULAS AGREGADOS. O POST LOGO ACIMA ANTECIPOU MEU PENSAMENTO QUANDO LI A MATÉRIA.QUEM VIVE DE "PRETO" E SE ASSEMELHA AOS URUBUS TANTO NAS VESTES QUANTO NAS ATITUDES NÃO É O PM...

    ResponderExcluir
  9. JUSTICEIRO.

    Rapaz,não é que ele com aquela coisa preta parece mesmo com URUBÚ!O pior que é que o judiciário ainda tem uma conta particular, é mole ou quer mais?

    ResponderExcluir

Evite palavrões. Dê seu apoio, faça a sua crítica, mas com respeito a todos.