quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Sargento e soldado da PM são afastados do serviço de trânsito após aplicação de multa ao bispo de Cruzeiro do Sul


Trabalhar em Cruzeiro do Sul é perigoso e pode dar transferência. O sargento Lelande e a soldado Tainara foram afastados do Serviço de Trânsito depois de multar o bispo Dom Mosé, que reside na cidade cruzeirense.

O caso aconteceu na tarde da última sexta-feira, 24, no cruzamento do Supermercado Econômico. De acordo com informações, o religioso trafegava com um carro Siena quando invadiu a preferencial e colidiu com uma moto. Os policiais foram chamados para atender a ocorrência e após identificarem que o motorista da motocicleta tinha apenas algumas escoriações, realizaram a consulta dos dados dos veículos e identificaram que o carro estava com dois anos de documentos atrasados, o que fez com que os militares tomassem as medidas cabíveis para o caso.

Enquanto preenchiam o auto de infrações, os militares foram pressionados a não realizar os procedimentos contra o religiosos. Algumas personalidades políticos ligaram para o comando da unidade policial em Cruzeiro do Sul que determinou o retorno dos militares, o que não aconteceu. De acordo com os PM’s Quartel que repassaram as informações, a forma o comando teve de punir os militares pela desobediência, foi transferindo para outro serviço.

- A alegação foi a de que era preciso fazer a transferência pelo bem da administração, mas na verdade é uma forma de punir os militares por ter multado o bispo, o coronel Alves gosta disso, afirmou um militar que não quis se identificar.


Alves já foi criticado por internautas nesse blog quanto a ocorrências de trânsito. De acordo com algumas denúncias, ele teria desmontado algumas Blitzes para passar com alguns carros de possíveis amigos seus. Oficial conhecido na cidade, Alves foi recentemente promovido a tenente coronel através da forte influência que tem no meio político, mais precisamente com o vice-governador Cesar Messias, que, alguns afirmam, nada tem a ver com a história.

Governo fura pneus do VAM e benefício será pago nesta sexta-feira


Sempre aprontando. Depois de anunciar que o Prêmio de Valorização da Atividade Militar (VAM) seria pago de forma integral, o governo tinha que aprontar alguma. O benefício dado como forma de incentivo a boa produtividade dos policiais e bombeiros militares que estava marcado para esta quinta-feira, 30, será pago amanhã, sexta-feira, 31, informou a secretária de Gestão Administrativa, Flora Valadares.

Segundo a secretaria, aconteceram alguns erros de data no sistema que já foram corrigidos e que ela mesma acompanhou os procedimentos. Quem não gostou nada dessa história foram os militares que esperavam o dinheiro na conta e se depararam apenas com o salário previsto no saldo da conta corrente.

- É sempre assim, espero mesmo que tudo seja resolvido amanhã, mas desse governo eu espero tudo, tudo de ruim, afirmou um militar.

O presidente da Associação dos Militares, Isaque Ximenes, informou os militares através de sua página pessoal nas redes sociais sobre a possível data do pagamento.

- Amigos Militares, bom dia. Conversei a pouco com a Dra. Flora, Secretária de Gestão Administrativa, que me falou que amanhã, dia 31 de janeiro de 2014, sairá o Prêmio de Valorização Militar - VAM. Abraço a todos.

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

NO BOMBEIRO NEM TUDO SÃO FLORES

SGT Bombeiro


O SOFRIMENTO UNE AS PESSOAS, é assim que pensa o comando do CBMAC. Foi dado uma ordem aos comandantes de UBMs para que endurecessem as escalas de serviço, ou seja, que aumentassem a carga horária a ser trabalhada pelos Bombeiros Militares, o álibi utilizado para essa ideia genial foi a de que através do trabalho excessivo o indivíduo é conduzido ao sofrimento que é o que une os homens.

Se, por um lado, o sofrimento promove uma sensação de frustração, impotência e fragilidade, por outro lado, impulsiona o trabalhador ao crescimento mental levando-o a se mobilizar, pensar, agir e criar estratégias para transformar a realidade geradoras de um sofrimento insuportável.

Nos primórdios do capitalismo, era comum a avidez da classe burguesa em submeter os assalariados a carga horárias exaustivas com o propósito de apropriação da mais valia por esses produzidas, com isso foi necessário os trabalhadores se organizarem e buscarem através dos sindicatos carga horárias mais justas, que lhes possibilitassem um repouso para revigorar suas energias os tornando aptos para enfrentar outra jornada de trabalho e assim garantirem suas subsistências com muito mais qualidade. E como foi consolidada essa carga horária que os trabalhadores no mundo inteiro têm hoje? Foi através de leis editadas e aprovadas pelos estados.

Hoje nós militares “funcionários estaduais”, vivemos um contrassenso, somos submetidos a carga horárias exaustivas por não haver definição em lei, e isso leva os bajuladores, os garimpeiros de promoção, os caçadores de insígnias a agirem de forma desumana com seus subordinados. O Estado nos deixa sobre o talante dessas figuras que massacram os MILITARES nas duras escalas de serviço.

Por que é que um BOMBEIRO tem que trabalhar 56h semanais? A CLT define 44h. Essas 56h trabalhadas no CBMAC deve-se à intervenção da APRABMAC que conseguiu sensibilizar o comandante FLORES, porque dias antes os militares viam trabalhando 84h por semana. O quadro operacional do Corpo de Bombeiros deveria ser composto por 1.700 homens, no entanto, existem pouco mais de 500 militares para atender todo Estado. Por que que ao invés de massacrar os militares os comandantes não busquem junto ao governo uma forma de ampliar seus efetivos? Ou então contentai-vos com o efetivo que têm e façam apenas o que é possível sem exaurir seus homens.


Temos que mudar essa realidade, nos unir e buscar junto ao governo a consolidação de uma carga horária digna para os operadores de segurança pública. Porque volta e meia ouvimos certos comandantes querendo escalar militares em escalas extras sob o argumento de complementação de carga horária, como pode, se nem carga horária definida temos.

Ouça o que bandido fala de polícia

Essa vai para os defensores dos Direitos Humanos

Nada são "Flores" no Corpo de Bombeiros do Acre

Por Abrahão Púpio

RESULTADO DA REUNIÃO DE HOJE (27/01/2014) COM O EXCELENTÍSSIMO COMANDANTE-GERAL DO CBMAC SOBRE A JORNADA SEMANAL DE TRABALHO: Acabamos (Sargento Jusciner e eu) de sair de uma reunião com o Coronel José Alberto Flores da Silva, Comandante-Geral do CBMAC, na qual dentre vários assuntos o principal foi a fixação de carga-horária semanal dos bombeiros militares, a partir da redução do que vinha sendo praticado notadamente no 1º, 2º e 6º BEPCIF. Ficou determinado pelo nosso Comandante-Geral que a jornada semanal de trabalho ficará no formato de 24 horas de plantão após cada 72 horas. Durante essas 72 horas, teremos no máximo 1 expediente (educação física militar e serviços operacionais) das 8 até 14 horas na terça ou na quinta-feira. Ainda não chegamos onde precisamos, que é fixar por lei a jornada semanal máxima de trabalho (repeitando da CF/1988 e a natureza do nosso serviço), mas considerando as circunstâncias que estavam postas devido a mal entendido administrativo, podemos admitir o alívio momentâneo e o bom-senso do Comandante em revogar decisão que foi tomada durante sua ausência da capital. A escala de 24 horas de serviço por 66 horas de descanso (72h - 6h de expediente = 66h de repouso, sem considerar o tempo de ida e retorno do quartel), com um expediente no meio do período de repouso, valerá para todos os batalhões operacionais do Estado do Acre, segundo a própria fala do Coronel BM Flores. Com essa significativa melhoria nosso efetivo operacional passará a trabalhar 54 horas semanais em média, sem considerar o tempo para ir e retornar do trabalho para casa e vice-versa, que também são considerados como se em serviço. Ainda estaremos além do ideal, mas indubitavelmente é bem melhor do que as quase 80 horas que estavam, por mal entendido, em vigor.

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

NOTA DE PESAR


“Servindo de todo coração” a Sebastião Viana novo comando do CB antecipa a instituição da jornada de trabalho de quase 80 horas semanais mesmo após a inclusão de 250 novos soldados

Por Bombeiro Acreano

Inicialmente prevista para viger a partir do dia 27, segunda-feira, o recém nomeado comandante geral do cbmac já reinstituiu a tão temida escala de serviço escravagista. Convenientemente em viagem “a serviço da corporação“ durante vários dias, quis tirar de foco que armou todo o planejamento escravagista.

Essa medida pegou todos de surpresa tendo em vista que recentemente foram formados 251 novos soldados. Até mesmo os milicianos recém-formados estão se desmotivando, pois durante o curso foram a eles apresentada uma realidade distinta da que encontraram.
Com base na denúncia anterior, em reunião entre a “cúpula brasiliense” da entidade foi decidido que o militar irá tirar um plantão de um dia inteiro (dia e noite), sai de serviço para sua casa, volta na segunda folga para tirar expediente das 8 até 14, volta na terceira folga para tirar expediente das 8 até 14, e na sequencia novo plantão de 24 horas. Isso tudo de domingo a domingo.

Vários denunciantes dão conta de que constantemente os militares estão sendo liberados dos famosos expedientes somente após as 3h da tarde. Somando o tempo para chegar ao serviço e ir para casa após ele os militares estão forçadamente ao poder dos coronéis cerca de 80 horas por semana, dos quais mais de 30% em período noturno, na maioria esmagadora das vezes sem banco de horas e sempre sem adicional noturno.
Antes dos 251 novos soldados se formarem a escala era apertada, mas não como agora, sendo que o comandante geral trai seus subordinados porque esqueceu da promessa de humanização da jornada semanal de trabalho, principalmente para aqueles lotados no serviço operacional.

O coronel Pires, desprezado por Sebastião Viana porque não conseguiu esconder da imprensa e dos amigos empresários as deficiências de equipamentos do corpo de bombeiros durante o incêndio na madeireira triunfo, ao menos fazia seleção interna para concorrência a vagas para a força nacional. Na era flores, a atual vaga aberta para a INC foi determinada diretamente pelo subcomandante, sem seleção interna dentre os 9 militares que estavam aptos a disputá-la.

Dos 50 soldados recém formados que sequer tiraram uma semana de escala operacional, indo diretamente para as seções administrativas (muitos sequer foram consultados antes), estarão submetidos a cerca de 44h semanais (expediente de 8h as 14h e 2 serviços operacionais por mês), mas seus outros colegas de turma a quase 80 horas, assim como os cabos e alguns sargentos.

O comandante geral e seus assessores coronéis full desprezam a saúde daqueles que estão na ponta do atendimento à sociedade, não tendo a capacidade de entender as diferenças entre militares do exército (na maioria ficam poucos anos na força) e bombeiros militares (fazem carreira durante 30 anos na entidade).


Já se tem o tom da “era flores”, que nada tem de bela, mas tem caráter pessoal, egocêntrica e autoritária. Os mais antigos chorarão a falta das eras “Jardim”, da classe da “Pires” e até mesmo da “Diabo Louro”, cujo “tridente” era justo e igual para todos. Se esse quadro não fosse ação de governo, Sebastião Viana teria nomeado outra equipe.

S.O.S Policlínica

Olá! Bom dia a todos os leitores, não veja como um desabafo essa situação e sim uma ajuda de todos os milicianos e dependentes, sou primeiramente grato a Deus e depois aos homens que tem nos ajudado (SGT Izaque e Maj. Athaualpa) na revitalização da Policlínica, tanto na composição do quadro unificado, quanto aos novos postos a serem ocupados pelos cadetes médicos. 

Povo Militar! Peço com toda humildade, sem hipocrisia ou demagogia help! A policlínica na qual também sou usuário desta OPM, que tem sido alvo de criticas depreciativas que não edificam, trabalho na instituição e vejo o socorro, a serventia, o uso diário a quem busca, alguns saindo com a situação resolvida a “maioria”, e pequena minoria insatisfeita. Diante as situações notáveis, venho propor um ato de solidariedade com a casa que nos servem; Nós acordarmos os gestores para certo declínio na demanda de oficiais médicos, odontologos e outros profissionais da saúde. No entanto, o que deveria ser tratado de imediato, seria o reconhecimento de quem veste a camisa, você é contra ou a favor da Isonomia? Dois quadros, dentro do mesmo ambiente, executando as mesmas tarefas geram insatisfação, descontentamento e tudo que diminui na valorização profissional, sendo o que mais o governo prima na sua gestão. Coloque o ciúme, a inveja de lado, e veja se podemos atendelo-os como profissionais formados na área de saúde, e não vistos como combatentes dentro da policlínica. Já pararam para pensar porque o atendimento “peca”? A demanda tem aumentado, os prestadores de serviços nos atende por uma “ninharia de dinheiro” não tendo muito comprometimento com horário e demandas de fichas, pouca autonomia no financeiro, situações sendo comandadas por pessoas que estão distante da realidade do dia-dia. Help! Sim! Estamos fadigados em ver a situação à deriva, sem resposta, só “embrometion” dos comandantes, que estão ai para empurrar as coisas com a barriga, sendo que amanha será mais um vitima do sistema (necessitando do serviço), “acorda povo” frase da Apresentadora/Vereadora Eliana Sinhasique. 

Se não sou do quadro de saúde, o que faço lá? Me vejo um terceirizado, assim como os trinta e seis militares pais de famílias que exerce suas labutas na policlínica, ou seja, são combatentes especializados em saúde que não estão no quadro de saúde. Se pode ou não passar para o quadro, não sabemos, mas achamos que é um ato do comando em todos os sentidos, seja na defesa dos seus pares, como na manobra política ao Governo. Confesso que a diplomacia não se acaba, todavia, recua para uma melhor reflexão! E como integrante da comissão de praças da policlínica, venho às autoridades competentes, solicitar providencias diante a situação da FUNSAU/POLICLÍNICA. Tendo em vista as desigualdades na sua totalidade. Aos internautas da critica, hoje com saúde graças a Deus, e amanhã? Seria mais um na fila da cirurgia de joelhos? Mais de duas dezenas aguardando um mutirão ortopédico, o que se resolveria com um médico (ortopedista) na casa. Mais os olhos estão fechados, devido à falta de união dos milicianos e a preocupação dos combatentes com os praças que se promovem no quadro, as faculdades e cursos técnicos sempre estiveram de portas abertas, não se ofenda, vá lá e se matricule em um curso de saúde, precisamos e muito de pessoas formadas nesta área que cresce todo dia, hoje mais de 10 mil associados e amanha? 

Terceirizar seria a saída? Ou seria mais uma “Unimed” da vida, dê valor a quem lhe atende, vista a camisa da isonomia, seja Policlínica. 

JOEL DE S MAIA – RG 2235
3º SGT PM/ENFERMEIRO

Desabafo de um bombeiro do Acre

Por um bombeiro Militar

Caros irmãos bombeiros militares, especialmente aos novos irmãos bombeiros recém chegados na Corporação!
A respeito dos absurdos que vem ocorrendo em nossa Instituição, que ainda é tão pequena mas muito mal administrada, como privação de direitos, farra de diárias, subjugação dos praças ao trabalho quase escravo, sem folga, descanso, humilhações sofridas por oficiais da cúpula mediante assédio moral, palavrões desmoralizantes, etc, quero convidar todos os irmãos para uma séria reflexão sobre essas coisas que tem ocorrido em nossa corporação principalmente nos últimos cinco anos, pois tudo isso é de conhecimento e provocado pelo governo, pois estas coisas são feitas por oficiais que ele prestigia, e o governo faz tudo isso para se vingar dos praças por causa das manifestações.
Um dos maiores anseios da tropa era a entrada de novos bombeiros para aliviar a gigantesca carga de trabalho que nos era imposta e nos consumia a energia, a folga, a convivência com nossos familiares, o direito sagrado constitucional ao descanso, trazendo até sérios problemas com nossas esposas e filhos por estarmos sempre de serviço servindo a população e aos coronéis. Pois bem, agora que conseguimos com muita luta a entrada dos novos bombeiros chegamos a pensar que pudéssemos ter uma jornada de trabalho mais humana, amparada na lei, quando imaginávamos que agora teríamos uma escala normal, porque a de antes era anormal, somos surpreendidos por uma péssima notícia dessas de que nossa escala vai até piorar sem nenhuma necessidade, sem nenhuma explicação plausível, só mesmo para atender ao saco da maldade dos oficiais que estão mandando atualmente. Só pelo desejo deles de nos ferrar, pois sabem que o governo não está gostando dos praças! Irmãos, para confirmar tudo que digo é só vocês observarem a s escalas da PM e da Polícia Civil, todos tiram escala de 24 X 72 ou tira 1 serviço e folga 3.
Esse relato é para chegar ao ponto principal, que é a forma como o governo nos trata, não tem nenhum respeito por nossa opinião (dos praças), não tem respeito pelos nossos anseios, ignora completamente nossas vontades, mesmo sabendo que somos a maioria. Esse é o cerne da questão: o governo não tem nenhum respeito e ignora a opinião dos praças, e até desdenha. Se os irmãos praças observarem bem, e isso já vem ocorrendo nos últimos 5 anos, tudo que os praças pedem, tem o desejo que as coisas sejam de uma forma, o governador faz o contrário. Se os praças tem alguma preferência por algum oficial para promoção ou para o comando, o governador coloca aquele mais odiado. Faz tudo isso para se vingar dos praças. Tudo que é ruim, coloca para os praças. Nunca nós tiramos escala igual à PM e PC sempre nossas escalas são mais arrochadas.
Só para citar alguns exemplos: o Subcomandante, Cel Flores, que não tinha e não tem nenhuma simpatia da tropa, pelo contrário, sempre foi um oficial ditador que não houvia e ainda não houve ninguém da tropa, e todos diziam: o governo não é doido para colocar o cel flores no comando, aí o governador só para contrariar nossa vontade vai e coloca ele no comando. Todos diziam que o Cel Roney jamais sairia coronel, por tudo de mal que ele já fez: tratar mal, humilhar e dizer palavrão com praças, quando era comandante do bombeiros de cruzeiro do sul criou uma briga gigantesca dentro de uma boate no centro da cidade, a PM foi chamada pelos donos da boate e prendeu ele; quando chegou na viatura ele quebrou a viatura da PM com murros e chutes em plena praça pública, um fato público testemunhado por todos os presentes, só não foi expulso do bombeiro naquela época porque o comandante da PM de cruzeiro da época que prendeu ele aliviou a barra dele, depois disso fez vários escândalos em Rio Branco por problemas familiares (não vou citar aqui por respeito à sua família) sem compostura destrata e humilha as pessoas e seus subordinados, todos conhecem ele na corporação como o cel doidão, e mesmo assim o governador de novo só para nos contrariar vai e promove ele a Coronel, para transformar o bombeiros num inferno. Pois sabemos que essas coisas que vem para ferrar a tropa é ideia dele e do Cel Flores. Com que moral um Oficial desse, que se acha um faraó, vai comandar homens e mulheres, vai punir alguém que fez alguma coisa errada, vai dar lição de moral em alguém se ele como comandante de um quartel quebrou uma viatura da PM em praça públicaÉ bom que os novinhos saibam dessas coisas que esse oficial alterado fez e ainda faz, para se protegerem dele, mesmo assim teve o aval do governador. E o governador ainda vive dizendo nas formaturas que o posto de coronel tem que ser uma coisa sublime. Desse jeito Será que o senhor  não sabia desse histórico escabroso?
E ainda tem as diversas viagens feitas ao interior do estado pelos oficiais da cúpula incluindo o então sub e hoje comandante com recursos públicos e diárias para visitar clubes, churrascos e beber em balneários usando viaturas oficiais, uma verdadeira farra de diárias gastas sem necessidade para entretenimento de coronéis usando como pano de fundo formaturas ou entrega de material, entrega disso ou daquilo nos quartéis do interior. E ainda fica puto quando seus subordinados não recebe bem e consegue esquemas com mulheres. Mas quando esses assuntos são colocados no blog o governo faz é dar mais moral ainda para esses oficiais, acho que ele faz isso somente com o intuito de tentar desvalorizar o blog. Passar uma imagem de que não dar trela para o que sai no blog. Outro fato. Em conversas com algumas pessoas do governo que ouviram, o próprio governador teria dito que ia valorizar os oficiais e não daria mais moral para os praças por causa das manifestações feita pelos praças e que os oficiais teriam apoiado o governo naquela oportunidade.
Por isso o governo faz por birra, contraria os praças para se vingar das manifestações. Foi por isso que ele escolheu o Cel Flores para o comando porque por saber que ele não era da simpatia da tropa, então vai o Flores para o comando para sacanear um pouco esses praças “baderneiros”. Promove o Roney porque ele é odiado pelos praças, só para sacanear esses “baderneiros”. Hoje esses coronéis privilegiados pelo governo dizem abertamente no quartel para quem quiser ouvir, que eles estão mesmo para ferrar a nossa vida. E ainda dizem: “podem colocar no blog porque nós ficamos ainda mais fortes”. Tudo bem mas aguardem que o troco do chefe de vocês tá a caminho.
E hoje estamos testemunhando e vivendo na prática o que eles arrotam todo dia, com essa escala de serviço desumana sem necessidade, só mesmo para nos ferrar. O nosso comandante diz em claro e bom som que ele já é coronel e comandante, não tem mais o que perder. O cel Roney diz a mesma coisa que já é coronel e não tem mais o que subir, segundo ele depois dele só tem o céu por isso agora suas missões e ferrar os praças. Concordo que eles não tem o que perder, mas eles esquecem que o governador tem, vai precisar dos votos dos praças que somos maioria e de nossos familiares na eleição e aí meus irmãos, é hora de darmos o troco, pensem seriamente nisso!!
Enquanto na prática o governo privilegia e dar moral aos oficiais mais odiados pela tropa, nos discursos nas formaturas diz que está do nosso lado, tudo mentira, pois não somos mais aqueles praças sem estudo e desinformados de ontem, enquanto eles tentam nos enganar, nós vamos então criando um rede bem articulada para nos defender dessas armadilhas. Já que o governo está se vingando de nós, nos contrariando, nas eleições iremos lhe contrariar também.
ENTÃO, MEUS IRMÃOS PRAÇAS, VAMOS FAZER UMA CORRENTE DE UNIÃO, VAMOS CRIAR UM MOVIMENTO SILENCIOSO COM TODOS JUNTOS E UNIDOS PARA DAR UMA RESPOSTA A ESSE GOVERNO NAS URNAS. VAMOS COLOCAR NO PODER UM GOVERNANTE QUE RESPEITE NOSSA OPINIÃO, QUE SEJA SENSÍVEL À NOSSAS CAUSAS, QUE RESPEITE NOSSOS DIREITOS À FOLGA, AO DESCANSO, AO CONVÍVIO COM NOSSAS FAMÍLIAS, QUE PERMITA QUE POSSAMOS ESCOLHER OU OPINAR POR UM COMANDANTE QUE TENHA NOSSA SIMPATIA E AFINIDADE COM A TROPA, QUE NOS RESPEITE COMO PROFISSIONAIS E NÃO APENAS COMO MEROS SUBORDINADOS CUMPRIDORES DE MISSÃO, QUE PERMITA QUE POSSAMOS FAZER CURSOS E DIÁRIAS E NÃO SÓ OS OFICIAIS, QUE PERMITA TERMOS PELO MENOS UM MÍNIMO DE DEMOCRACIA EM NOSSA CORPORAÇÃO!
CONTO COM O APOIO DE TODOS! SOZINHOS NÃO SOMOS NADA! UNIDOS E BEM INFORMADOS SOMOS FORTES!
Bombeiro Militar, que ainda acredita numa Corporação séria e voltada somente para o interesse único de prestar um serviço com qualidade à população!

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

POLICLÍNICA A BEIRA DA EXTINÇÃO, REVITALIZAR É PRECISO



Já tivemos um dos melhores serviços de saúde do Estado, dispúnhamos de um corpo de profissionais habilitados que realizavam os mais diversos serviços, tais como atendimentos médicos em todas as especialidades, odontológico, psicológico, fisioterapia e, inda existia as visitas solidarias àqueles que se encontravam em condições de saúde difíceis, mas nos últimos anos a atenção a esse setor, que é tão importante para os militares, vem sendo esquecida. Ainda nos é oferecido muitas vantagens, mas por conta do esforço de muitos militares, e boa parte desse militares sentem-se depreciados pelo fato da inércia administrativa em resolver problemas simples, como a revitalização do quadro da Policlínica que há anos vem sendo reivindicado. 

A tendência é que a qualidade dos serviços caia ainda mais, e essa queda se dará por dois fatores, primeiramente por não haver mais mão de obra especializada na área médica nos quadros da Polícia Militar, segundo por existir uma insatisfação muito grande com relação ao não atendimento à reivindicação da maioria dos militares que compõe a equipe que todos os dias atende os policiais militares naquela unidade de saúde.

Saúde é prioridade em qualquer lugar do mundo, em todos os Estados brasileiros existe um suporte na área de saúde para atender os militares estaduais, assim como um dia já ocorreu com muita qualidade no Acre, hoje amargamos uma dura realidade de ver esses serviços se esvaindo, e os nossos gestores assistem tudo de camarote como se tudo estivesse na mais perfeita normalidade.

Digo aos senhores que ainda temos tempo, precisamos nos mobilizar e lutar por esse setor que é vital para os militares. Nada é tão ruim que não possa piorar, e antes que isso ocorra precisamos nos antecipar, se não chegará o dia em que veremos nossos amigos amargando nas filas das UPAS e dos PS da vida. 

Eu estou disposto apoiar a demanda dos militares da POLICLÍNICA, seus problemas também são nossos problemas vamos juntos construir possibilidade de dias melhores.

Isaque Ximenes
Presidente da AMEAC

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Bombeiros do Acre terão escala massacrante a partir da próxima semana

Por Bombeiro Acreano


Coletânea de absurdos. Essa é a palavra para algumas ações do novo comando do corpo de bombeiro. Vários militares informaram que a partir de segunda-feira, no próximo dia 27, passará a vigorar uma escala de serviço tão massacrante, que mesmo antes dos novos soldados reforçarem o efetivo, ainda assim a jornada semanal era menos leonina.

Em reunião entre a cúpula da entidade, foi decidido que o militar irá tirar um plantão de um dia inteiro (dia e noite), sai de serviço para sua casa, volta na segunda folga para tirar expediente das 8 até 14, volta na terceira folga para tirar expediente das 8 até 14, e na sequencia novo plantão de 24 horas.

O blog construiu a seguinte exemplificação da “Ideia Gênio” abençoada pelo comandante geral, coronel Flores: Domingo de plantão de 24 horas. Segunda feira sai de serviço (no bombeiro, a saída de serviço ocorre por volta das 10h, e não as 8, porque há sempre muita falação e “aconselhamento” antes de passar o serviço). Terça expediente das 8 até 14. Quarta mais expediente das 8 até 14. Quinta novo plantão de 24 horas e repete o ciclo.

Nesse esquema o militar trabalhará quase 70 horas semanais, sem adicional noturno, de hora extra, sem consideração de feriado etc. Um oficial combatente que não concorda com a ação de comando, mas não quer se identificar, disse que se antes dos 251 novos soldados se formarem tal jornada não existia, não há racionalidade em implementá-la agora, pois um dos principais, senão o maior, objetivo da reivindicação pela inclusão de novos soldados era a humanização da jornada semanal de trabalho.

Outro militar que conversou com o blog advertiu que se está assim sem haver transbordamento do rio acre, eclosão de múltiplos focos de incêndio florestal, se não é carnaval, se ainda não chegou a Expoacre, nem os festivais de praia, imagina quantas dezenas de horas os comando fará o bombeiro trabalhar quando tais períodos concretamente chegarem.

Corre nos bastidores do quartel do comando geral que o atual comando se orgulha de serem coronéis FULL genuínos porque foram formados em Brasília e não são R2. Assim precisam ADESTRAR A TROPA para torná-la surda e muda, como se vivessem no contexto real do exército brasileiro, à espera de uma guerra iminente, logo nada de se priorizar a família, a saúde, o bem-estar, a sociedade, mas sim a vontade do comandante, que precisa mostrar o quanto é poderoso.

O corpo de bombeiros, segundo denúncias recebidas nas últimas semanas, parece entrar novamente em uma era de pessoalidade e autoritarismo. Não se fez seleção interna para a última vaga aberta para a força nacional, logo de cara o comando geral levou 50 soldados recém formados para as seções administrativas (os novos soldados não tem culpa, é a política do comando), ameaçam expulsar seus integrantes sem o processo legal, mudou-se a data do tradicional churrasco de fim de ano sem divulgação prévia aos militares e famílias (não foram 40 pessoas) e por aí vai.


O cenário está sendo visto pelos militares como ação de governo, pois tudo que fazem os coronéis dizem fazer em nome do governador Sebastião Viana, inclusive o recém promovido coronel Faraó.

AME e Aprabmac negociam com governo entrada de pessoas do cadastro de reserva do concurso da PM


Por Abrahão Púpio

Durante a manhã de hoje, quarta-feira, 22/01/2014, a Comissão dos Candidatos do Cadastro de Reservas PMAC e CBMAC, acompanhada da AME/AC e APRABMAC, estiveram em reunião com o Vice-Governador do Estado do Acre, César Messias, em um "bate-papo" visando fundamentar também à autoridade pública em tela as razões de interesse público na convocação dos candidatos a soldados policiais e bombeiros militares.

O Vice-Governador se comprometeu em ser mais um defensor ferrenho desta causa, deixando enfatizado, no entanto, que a palavra final é do Governador do Estado.

Foi explicado ao Vice-governador que ao todo são 72 aspirantes a soldado bombeiro e 217 aspirantes a policiais militares. Foi explicado que ao todo são 289, todavia, há candidatos que estão classificados tanto na PM, quanto no CBMAC, e até mesmo na Polícia Civil, razão esta que faz reduzir o impacto financeiro ainda mais, bem como demandará menos alunos no CIEPS, não existindo óbice à formação integrada entre os 250 da policia civil e os integrantes do cadastro de reservas.

Foi explicado que a própria comissão atualizou a lista de candidatos aptos a irem direto ao curso de formação, em parceria com a AME e APRABMAC, sendo que será enviado ao Vice-governador um ofício com todo o mapeamento.

Também explicamos que o Governador Tião Viana está ciente da causa, já tendo manifestado boa vontade com relação a resolução da demanda. César Messias se comprometeu a também defender a convocação pessoalmente, ficando de dar posicionamento assim que possível.

Por fim mostramos ao Vice-governador o vídeo com a participação dos candidatos do CR no ato de prontidão durante a formatura dos 224 novos soldados da polícia militar, sendo que ele pediu que o vídeo da excelente matéria veiculada na TV Gazeta fosse enviada ao seu telefone celular pelo WatsApp.
 

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Por unanimidade, policiais civis decidem manter “Operação Cumpra-se a Lei”

Gleydison Meireles – da redação de ac24horas ggreyck@gmail.com
Reunidos na manhã desta quarta-feira (22), na esplanada do Palácio Rio Branco os policiais e escrivães da Polícia Civil decidiram manter a “Operação Cumpra-se a Lei”, manifesto criado para reivindicar direitos não cumpridos pelo Executivo estadual, valorização da categoria e melhorias de estrutura e de trabalho.
DSC06431
A diretoria do Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Acre (Sinpol/AC) e equipe de negociação do Governo estiveram reunidos no final da tarde de ontem (terça-feira, 21) para discutirem as pautas de negociações exigidos pela categoria, mas de acordo com o presidente da instituição, Itamir Lima, o governo só queria ‘negociar’ o que é de direito dos policiais.
DSC06427
“Já tínhamos uma ideia de como seria esta reunião, o governo veio com uma proposta absurda de querer negociar a titulação e as promoções, o que é um direito do servidor, isso somente depois da eleição e as pautas de reivindicação somente em meados de 2015. Chega a ser engraçado, pois o governador tem a plena convicção que será reeleito para fazer uma proposta dessa”, disse o presidente do Sinpol.
O resultado da reunião foi levado ao conhecimento dos mais de 260 policiais e escrivães que lotaram o local da manifestação. Por unanimidade a categoria decidiu não aceitar a proposta governamental e mantem a “Operação Cumpra-se a Lei”.
“É gratificante ver que toda a categoria está unida em busca de um mesmo objetivo, é uma luta justa onde as melhorias reflete diretamente no serviço prestado a população. Estamos satisfeitos pois hoje tivemos a adesão ao movimento de companheiros que trabalham diretamente na Direção Geral da Polícia Civil e que estão aqui contribuindo para o nosso movimento”, comentou Itamir Lima.
DSC06404 (1)
“Se defender a categoria é ser um apaixonado, serei apaixonado o resto da minha vida”
Durante seu discurso para os policiais e escrivães da Polícia Civil, o presidente do Sinpol Itamir Lima foi às lagrimas. O motivo da emoção foi os últimos ataques feito a diretoria do sindicato por parte do Governo e da Secretaria da Polícia Civil, que  tentaram desmobilizar o movimento com ameaças e acusaram a diretoria do Sinpol de usar categoria para fazer ‘picuinhas’.
Entre as declarações dos secretário de Polícia Civil Emylson Farias, uma chamou a atenção, a de que a categoria devia agir com razão e não de forma apaixonada, já que a exigência de coletes balísticos para o uso durante a entrega de intimações era apenas picuinha do sindicato.
“Se aceitarmos negociar o que é de direito, nunca mais teremos direito a nada, pois se defender a minha categoria, se defender os meus colegas é ser apaixonado, serei um apaixonado pro resto da minha vida, pois estou aqui defendo aqueles que dão o seu sangue, que todos os dias saem de suas casas para arriscar a sua vida em nome da paz e pelo bem da sociedade e então o mínimo que exigimos é respeito e dignidade”, declarou o sindicalista que foi aplaudido de pé pelos policiais.
Quanto a tentativa da Direção Geral da Polícia Civil em desarticular o movimento afirmando que as promoções só seriam atendidas após o fim do movimento, Itamir Lima disse que a resposta está sendo dada pela categoria com a grande adesão a manifestação.
“Não sei se tenho raiva ou nojo da mentira, ningué se sustenta em cima de mentiras e estamos provando que quem mente é a gestão, é a gestão que inventa estórias, a gestão que tenta por a categoria contra o sindicato, mas o policiais estão vendo que o sindicato é que luta por eles, pois somos policiais civis e apaixonados sim, o governo, a gestão não briga por servidores e eles vão ter que entender que direito tem que ser cumprido e não negociado”, finalizou Lima.
POLICIAIS CIVIS OCUPAM ESCADARIAS DO PALÁCIO
Os policiais civis, em um ato simbólico, tomaram as escadarias do Palácio Rio Branco para cantar o Hino Nacional. Os mais de 260 policiais se mobilizaram para o ato, que demonstrou a força e o comprometimento da categoria na busca pela valorização de policiais e escrivães da Polícia Civil.
DSC06444

São Paulo - PMs de folga estão matando mais

Mortes provocadas por PMs de folga aumentam 50% no Estado de SP

Ao mesmo tempo em que a Secretaria da Segurança Pública de São Paulo comemora a redução de 39% no número de mortos por policiais militares em serviço em 2013, as mortes provocadas por PMs de folga cresceram 50%.
De janeiro a novembro do ano passado, 218 pessoas foram mortas por policiais fora do horário de serviço, contra 145 nesses meses de 2012.
Nesse último caso, a comparação foi feita sem o mês de dezembro porque só os dados até novembro foram publicados no “Diário Oficial”.
As mortes, sejam elas praticadas em serviço ou durante a folga, incluem desde homicídios dolosos (com intenção) a reações a assaltos.
Editoria de Arte/Folhapress
Já as mortes causadas por PMs em serviço caíram 39% -de 546 em 2012 para 335 em 2013 (nesse caso, os dados de dezembro foram disponibilizados). Os números foram revelados ontem pela Folha.
Nos últimos dez anos, os PMs de folga cometeram, em média, 112 mortes por ano (de janeiro a novembro). Esse número é quase a metade das 218 mortes ocorridas em 2013.
Desde 2003, os policiais de folga mataram pelo menos 1.227 pessoas. Em serviço, foram 4.476 mortes.
Considerando o total de ocorrências, em média, uma pessoa foi morta a cada 15 horas por policiais no Estado.
BICOS
Além disso, no ano passado, foi a primeira vez que, em um mês, policiais mataram mais em folga do que em serviço. Isso ocorreu em março, maio e outubro.
“É possível que [o policial] não mate mais quando está trabalhando, mas resolva o que considera um problema na folga”, disse o especialista em segurança pública Guaracy Mingardi.
“Pode ter execução aí também, mas seria preciso analisar as circunstâncias”, diz.
Coordenador do Observatório de Segurança Pública da Unesp, o professor Luís Antonio Francisco de Souza diz que um dos motivos do aumento pode ser a prática de “bicos” pelos policiais.
“Sem contar que a letalidade também está relacionada a rixas e acertos de contas entre policiais e criminosos, o que é sempre muito preocupante”, diz o especialista.
Também em 11 meses do ano passado, 16 policiais militares morreram em serviço (não necessariamente em confronto) e 48 em folga, segundo dados publicados no “Diário Oficial”.

OUTRO LADO
A Secretaria da Segurança Pública diz que tem trabalhado constantemente com a PM na capacitação de policiais e na reformulação de procedimentos. Segundo a pasta, todos realizam treinamento que “visa à proteção da vida do policial, de eventuais vítimas e do infrator” em uma ação.
A secretaria afirma que há controle diário de disparos.
“Os PMs envolvidos em ocorrências com mortes de colegas, vítimas ou mesmo suspeitos passam por avaliação psicológica e, se necessário, tratamento”, diz.
Ainda segundo a pasta, as mortes com “excludente de ilicitude” (como legítima defesa) não devem ser comparadas aos casos de “mortes em decorrência de intervenção policial” em serviço. (Folha de São Paulo).
Fonte: http://www.policialbr.com/pms-de-folga-estao-matando-mais/#ixzz2r8Q41GDa

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Esses coitados estão precisando da sua ajuda

Condenados do mensalão pedem doações para pagarem pena de multa.


Dirceu, Delúbio e João Paulo também vão pedir doações para multa
Eles seguirão exemplo de Genoino, que conseguiu captar R$ 667,5 mil. Segundo coordenador jurídico, PT vai reacionar a militância para ajudar.
Inspirados pelo exemplo do ex-deputado José Genoino (PT-SP), que conseguiu pagar com doações a multa de R$ 667,5 mil imposta pelo Supremo Tribunal Federal no julgamento do mensalão, os petistas João Paulo Cunha, Delúbio Soares e José Dirceu também vão abrir sites na internet para arrecadar dinheiro.
De acordo com o coordenador do setorial jurídico do PT, Marco Aurélio Carvalho, os portais estão sendo criados pelas famílias dos três condenados e contam com o apoio do partido.
“Esses sites foram organizados pela família de cada um dos condenados e o PT apoia. A verba do fundo partidário não pode, por lei, ser usada para isso. Então, o PT vai acionar da militância para que, de forma solidária, participe dessa campanha”, afirmou.
Condenado a 10 e 10 meses de prisão, o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu terá que pagar 260 dias-multa no valor de 10 salários mínimos (no montante vigente à época do crime, de R$ 260), o que dá R$ 676 mil. O valor ainda vai aumentar porque será atualizado com base na inflação quando a Vara de Execuções Penais do Distrito Federal intimar o petista, o que ainda não ocorreu.
O ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares já foi intimado pela Vara a pagar multa de R$ 466,8 mil. O deputado federal João Paulo Cunha (PT-SP) ainda não foi preso e a multa prevista na ocasião da condenação pelo STF era de R$ 370 mil, valor que ainda sofrerá alteração no momento da aplicação da pena.
Para o coordenador do setorial jurídico do PT, as campanhas na internet para obter os recursos serão “um sucesso”.
“Essa rede de solidariedade será ampliada e vai dar sustento. Vai ser um sucesso como a do Genoino. A solidariedade entre os companheiros é um valor que nos diferencia de tantos outros partidos. É uma marca importante que o PT tem. A gente chega ao final da campanha de Genoino com a compreensão de que a militância ajudou”, disse Marco Aurélio Carvalho.
Multas
Nesta segunda, venceu o prazo para que cinco condenados no processo do mensalão pagassem as multas devidas à Justiça- os ex-deputados federais José Genoino (PT-SP) e Valdemar Costa Neto (PR-SP); o operador do mensalão, Marcos Valério; e os ex-sócios dele Cristiano Paz e Ramon Hollerbach.
Se as multas não tiverem sido pagas, a Vara enviará as informações à Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, que vai inscrever o nome dos condenados na dívida ativa e iniciar procedimento de execução fiscal, para garantir o depósito dos valores. Os recursos irão para o Fundo Penitenciário Nacional, usado para melhorias nas condições dos presídios.

Fonte: http://www.policialbr.com/condenados-do-mensalao-pedem-doacoes-para-pagarem-pena-de-multa/#ixzz2r2C55Pc8

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Cuidado com as postagens nas redes sociais

Bombeiros são processados por postagem no Facebook.

Se julgados culpados, os soldados poderão sofrer de um a quinze dias de prisão administrativa

Uma postagem no Facebook foi a causa de um processo administrativo disciplinar contra quatro soldados do Corpo de Bombeiros do Espírito Santo (CBMES). Decepcionada com o aumento salarial concedido aos cabos e soldados no final do ano passado, uma soldado postou em sua página pessoal da rede social que estava “se sentindo triste” com a desigualdade do reajuste dentro da corporação. “30% para os oficiais e 3% para os soldados”, escreveu.
A mensagem da soldado foi curtida e comentada por outros militares, que insatisfeitos com o aumento de R$ 17 nos salários decidido no final de 2013, discutiram no espaço de comentários a possibilidade de estudar para fazer um concurso e poder sair do Corpo de Bombeiros. “Quem se rasga nas ruas são os praças, mas quem recebe os frutos são os oficiais”, diz um deles. Outro soldado afirma “isso só me incentiva a estudar e procurar algo melhor”.
Essa conversa, que aconteceu no dia 20 de dezembro do ano passado, faz parte agora de um processo administrativo. Nele, os soldados são acusados de desprestigiar a corporação, promover manifestação de caráter reivindicativo e discutir publicamente assunto de segurança publica.
Todas essas infrações são previstas no Regulamento Disciplinar dos Militares do Espírito Santo, mas o caso levanta a discussão sobre o uso das redes sociais pelos militares.
Para o presidente da Associação dos Bombeiros Militares do Espírito Santo (ABMES), sargento João Batista, o processo contra os soldados é infundamentado. “O que eles fizeram não chega nem a ser uma mal-criação, muito menos deve ser tratado como transgressão ao Regulamento”, afirma.
Para o sargento, esse processo seria uma tentativa de calar a tropa. “Eu não vejo motivo para essa perseguição. O Regulamento não está sendo usado para o bem comum e sim para manter uma ditadura corporativa”.
Segundo a ABMES, que presta assessoria jurídica aos envolvidos, o processo está em estado inicial e a decisão da Corregedoria do Corpo de Bombeiros deve ser revelada em um pouco mais de uma semana. “Os acusados acabaram de entregar as defesas prévias e as testemunhas estão sendo chamadas para depor”, explica o sargento João Batista.
Ainda segundo o sargento, a punição para quem infringe o Regulamento Disciplinar depende do histórico de cada soldado e pode ir de um a quinze dias de detenção administrativa (quando a pessoa passa apenas o dia na prisão e volta pra casa a noite).
Fonte: http://www.policialbr.com/bombeiros-sao-processados-por-postagem-no-facebook/#ixzz2qed1U8nz

São Paulo: “Rolezinho” pela extinção da Polícia Militar


Um grupo que defende a extinção da Polícia Militar marcou, por meio do Facebook, um “rolezinho” no shopping Leblon, na zona sul do Rio, no próximo domingo (19).
O evento, dizem os organizadores, será em solidariedade aos participantes de eventos semelhantes em São Paulo, que vêm sendo proibidos pela Justiça e reprimidos com violência pela PM.
“Em apoio à galera de São Paulo, contra toda forma de opressão e discriminação aos pobres e negros, em especial contra a brutal e covarde ação diária da polícia militar no Brasil, seja nos shoppings, nas praias ou nas periferias”, escreveram os criadores do evento, que até o início desta segunda-feira, já tinha quase 4.000 confirmações de presença e quase 45 mil convidados.

Governo federal é irresponsável com segurança pública, diz Aécio



Por Daniela Lima

SÃO PAULO, SP, 16 de janeiro (Folhapress) – O senador Aécio Neves (PSDB-MG), pré-candidato dos tucanos à Presidência da República, criticou na tarde de hoje a política de segurança pública do governo federal. Ao lado do governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP), com quem almoçou no Palácio dos Bandeirantes, o mineiro disse que o governo Dilma Rousseff (PT) “empurra para os ombros dos Estados” os problemas da área, numa postura “absolutamente irresponsável”.

Sem fazer menção direta ao caso da rebelião no presídio de Pedrinhas (MA), que culminou com dezenas de mortes, Aécio disse que o governo não investe o que deveria em segurança prisional e que 87% dos gastos com a área saem dos bolsos de Estados e municípios.

Rolezinho


Questionado sobre o fenômeno dos rolezinhos, Aécio disse que “os rolês” ainda não se tratam de um caso de segurança. “É um fenômeno natural, como muitos que ainda teremos.”
Embora tenha sido o principal assunto do encontro, Alckmin e Aécio evitaram falar publicamente sobre alianças. O governador despistou quando perguntado sobre o impasse com o PSB, do pernambucano Eduardo Campos. O partido hoje tem cargo no governo paulista, mas ameaça romper o acordo com Alckmin para contemplar a ex-senadora Marina Silva, cotada para ser vice da chapa de Campos na disputa presidencial.

Já o senador afirmou que o PSB terá “candidaturas competitivas”, com tucanos ou aliados na cabeça de chapa, em cerca de 20 estados. Ele ainda alfinetou integrantes do PSB que o criticaram por ter dito que, se optar por obedecer o veto de Marina Silva a alianças em alguns Estados, o PSB será o maior prejudicado.

“A minha interlocução com o PSB é feita prioritariamente com o presidente do partido, o governador Eduardo Campos. Minha relação com ele precede candidaturas”, afirmou.
Humor

Excessivamente cauteloso ao tratar do assunto, Alckmin sequer quis confirmar sua própria candidatura à reeleição. Aécio disse, então, que o paulista poderia ser candidato “a presidente”. “Presidente do Santos”, concluiu Alckmin, que torce para o time paulista.

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Presidente da AME afirma que pagamento do VAM em janeiro contará com complementação da primeira parcela

Um mil cento e setenta reais (R$ 1.170,00). Esse é o valor que a cada militar (PM e bombeiro) irão receber no final do mês de janeiro por terem atingido as metas de serviço no segundo semestre de 2013, afirmou o presidente da Associação dos Militares (Ame), Isaque Ximenes, no final da tarde de ontem, 15.

O valor total do Prêmio Anual de Valorização da Atividade Militar (VAM) corresponde também a uma parcela que ficou faltando da primeira, dada em agosto do ano passado com restrições de 10%, pelos militares supostamente não terem atingido as metas descritas no Decreto Governamental.


De acordo com o presidente, o repasse será um pouco menor apenas para os policiais recém-formados (R$ 900,00) porque passaram a maior parte do tempo em sala de aula, mas ainda assim foram inseridos na folha suplementar deste mês por a uma concessão do governo.

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

AME entrará com ação judicial contra o Estado para a entrega de fardamentos referente aos últimos cincos anos

Foto cedida pela AME/AC

Os gestores da Associação dos Militares (AME) solicitaram de seus advogados a entrada imediata de uma ação judicial que force o Estado a fornecer os fardamentos devidos e que não foram entregues nos últimos cinco anos. De acordo com os militares, o governo não tem cumprido com o que determina o Estatuto que rege as Instituições Militares que afirma que cada militar deverá receber dois fardamentos por ano.


Nos últimos anos, dos dez fardamentos a que os policiais tem direito, apenas dois foram entregues e de forma incompleta. No final do ano passado, vários militares protocolaram requerimento junto ao comando exigindo o direito, mas até a presente data não receberam nenhuma resposta. Cópia desses requerimentos foram entregues aos advogados.