quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Sebastião Viana pede inconstitucionalidade de imunidade para processar deputado


Ray Melo,
da redação de ac24horas
raymelo@ac24horas.com
O deputado Major Rocha (PSDB) informou na manhã desta quinta-feira, 30, na Aleac, que o governador Sebastião Viana (PT), teria entrado com uma ação no Tribunal de Justiça do Acre (TJ-AC) pedindo a inconstitucionalidade da lei que garante a imunidade dos deputados estaduais, em seus pronunciamentos na tribuna da Casa.
“Quero dar conhecimento a essa Casa e a sociedade acriana, de uma situação danosa à democracia. No dia 07 de maio, no Twitter, o governador me acusou de envolvimento com o crime organizado, tortura e pedofilia. No dia 08, eu usei meu direito a retorção, e retribui as acusações. Agora estou sendo acionado pelo governador Sebastião Viana”, diz Rocha.
Segundo o parlamentar, ele teria recebido uma representação do Ministério Público Estadual (MPE), onde o procurador não teria procurado saber se o texto seria uma reposta às agressões proferidas pelo governador. Rocha denúncia ainda, que Sebastião Viana, estaria agindo de forma ditatorial para tolher os direitos dos deputados se pronunciarem.
“O advogado do governador pede que o Tribunal de Justiça considere inconstitucional, a imunidade parlamentar, para que os deputados sejam processados sem autorização do Poder Legislativo. Os regimes ditatoriais começam assim. Estão querendo cassar um dos poucos direitos que dos deputados estaduais”, enfatiza Rocha.
O deputado tucano informou ainda, que usará a “Exceção da Verdade”, para que o governador prove tudo que disse contra ele, no Twitter. “Eu vou provar o que eu disse em minha postagem. A democracia pode ser frontalmente agredida, com esta ação judicial, que, como o Titanic está fada a afunda”, finaliza Rocha.

CONVITE


Convidamos a todos os militares para a missa de um ano do falecimento do tenente S. Silva, mais conhecido como “Parida”, a realizar-se, em Rio Branco, na Catedral Nossa Senhora de Nazaré, às 19 horas.

Agradecemos desde já a presença de todos nesse ato de fé.

A família.

Fonte: Solicitação da AME/AC

Um dica para a AME/AC


PM do RJ estuda fazer ingresso único para soldados e oficiais
Acesso ao oficialato seria apenas por prova interna, após período no posto mais baixo da hierarquia. Hoje há duas escolas de formação distintas.




A Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro estuda inovar no sistema de ingresso de soldados e oficiais na corporação e implantar o acesso único para oficiais e praças.

Assim, todos os policiais precisarão primeiro ser soldados para poderem concorrer a uma vaga no Curso de Formação de Oficiais (CFO). O projeto está em estudo há cerca de três meses por uma comissão formada de coronéis e tenentes-coronéis da PM, nomeada pelo comando da corporação.

Pela nova forma de acesso, a prova inicial para entrar na PM será para soldado, patente mais baixa da hierarquia militar, e o único acesso possível ao oficialato seria por meio de um concurso interno, após tempo ainda (possivelmente três ou cinco anos). Seria criada uma regra de transição para adequar o novo modelo aos atuais oficiais e praças.

Uma vantagem seria que todos os futuros oficiais terão antes passado pela atividade de ponta da corporação. Aprenderiam na prática o lema impresso no prédio principal da Academia Militar das Agulhas Negras (Aman), escola de formação de oficiais do Exército: “Cadetes! Ides comandar, aprendei a obedecer”.

Como consequência do atual grupo de estudo, o concurso de 2012 para oficiais da PM foi suspenso em março, como mostrou nota do Poder Online , e não fará parte do vestibular da UERJ neste ano.

Desde 1920, os alunos passam por três anos de formação em regime de semi-internato, para se formarem como aspirantes a oficial. Os postos do oficialato são, pela ordem crescente, aspirante a oficial, segundo-tenente, primeiro-tenente, capitão, major, tenente-coronel e coronel; os praças são soldado, cabo, terceiro-sargento, segundo-sargento, primeiro-sargento e subtenente.

A nova forma de ingresso na PM seria inovadora nas polícias brasileiras, que seguem o modelo das Forças Armadas – de escolas de formação distintas para oficiais responsáveis por comandar e pela parte estratégica) e praças (executores, parte tática).

A avaliação interna e temor dos próprios integrantes da comissão de estudo é que a nova forma de acesso gere tensões e crise no oficialato – principalmente entre os mais jovens – de uma instituição militar, que prima pela hierarquia e disciplina. Outra preocupação é não desestimular o atual Corpo de Alunos, que entrou pela regra antiga.

Atualmente, 331 alunos estão no Curso de Formação de Oficiais da PM do Rio (64 no primeiro ano, 168 no segundo e 99 no terceiro). Há 44.047 policiais na força, e a meta é chegar a 60 mil profissionais em 2016. Em 2011, houve 11 formaturas, somando 4.190 soldados; em 2012, já foram 2.170 novos PMs incorporados.

Na opinião de um oficial superior da comissão empolgado com as perspectivas, a missão é “extremamente desafiadora” e seu resultado poderia levar até o próprio Exército Brasileiro a repensar o seu modo de admissão e questionar se ainda faz sentido a divisão de escolas de formação (no caso do Exército com a Aman e a Escola de Sargentos das Armas).

De acordo com um dos oficiais que integram a comissão de estudo e implantação do novo acesso, o sistema se assemelharia ao da Alemanha e ao de Nova York – onde é preciso ter cursado faculdade ou ter dois anos de serviço ativo nas Forças Armadas e Ensino Médio.

Um ponto que está sendo estudado é se a corporação passará a exigir graduação em nível superior dos candidatos a soldado para ingressar na PM – assim como a Polícia Civil faz. A academia de oficiais é atualmente um curso considerado de nível superior, que não exige formação além do nível médio para entrada.

Uma consequência do novo modelo estudado, seria a formação de oficiais mais velhos que os atuais cadetes, que podem entrar na PM a partir de 18 anos, logo após completarem o Ensino Médio e prestarem concurso de vestibular. (IG)


quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Ame se posiciona contra a forma empregada pela FUNSAU para reajuste de mensalidade



A Associação dos Militares do Estado do Acre (AME/AC) protocolou na tarde de hoje, 29, junto ao Comando da PM, um ofício no qual expõe alguns argumentos contra a forma empregada pela Policlínica para reajustar a mensalidade paga pelos militares.
O documento assinado pelo presidente Isaque Ximenes deixa claro o descumprimento de acordo realizado no último dia 22 entre as entidades representativas, o comando da PM e o Fundo de Saúde.

- Considerando que foi constatado na reunião da Policlínica com os batalhões que o valor proposto de reajuste pela Fundação de Saúde foi de R$ 15,00 (Quinze reais), valor este superior ao que ficou proposto pela maioria dos presentes na reunião do dia 22 de agosto de 2012, na sala do Comando Geral, afirma o documento.

Ainda segundo a Ame, a Policlínica não forneceu informações financeiras que justificassem o reajuste, descumprindo seu próprio Regulamento publicado no Boletim Geral Nº 188 de 10 de outubro de 2006, mais precisamente o artigo 3º.

- Art. 3º - As contribuições de que trata o artigo anterior sofrerão reajustes quando houver elevação dos custos operacionais de manutenção dos serviços credenciados em razão de elevação de Tabela de cobrança de procedimentos, sendo que nestas circunstâncias, serão apresentadas pela Chefia do Fundo de Saúde, planilhas que justifiquem e permitam balizar os percentuais de majoração da contribuição ao Comandante Geral e ao Conselho Fiscal, para análise e aprovação.

De acordo com os dados repassados pela FUNSAU, atualmente o número de usuários somam 9.649, o que dá uma renda mensal de R$ 289.470,00. Acontece, que apesar de o Regulamento do Fundo apresentar como fonte de recursos apenas as mensalidades, a realidade é que existem também os repasses de desconto em folha de pagamento referente às consultas e exames realizados pelos usuários e que não são levantados pelos membros da Policlínica nas reuniões.

De acordo com a Portaria nº 782/DRH/2011, assinada pelo Comandante Geral da PM, coronel José dos Reis Anastácio, no final do ano passado, alguns descontos chegaram a sofrer uma majoração de 100%, outros ainda de 60 e 20%. A Policlínica vai, portanto, ao segundo aumento em nove meses sem uma justificação plausível.

A estratégia do Fundo de Saúde

Desde terça-feira, 27, que alguns militares da Policlínica estão passando nos batalhões da capital tratando sobre o aumento da mensalidade. A idéia é levar para os militares a responsabilidade de decidir a questão através de anúncios apocalípticos como a retirado de alguns serviços. Mas sem apresentar notas fiscais e planilhas de que justifiquem a majoração.

Posicionamento da Ame

De acordo com os diretores da Ame, a entidade não é contra nem a favor do aumento, apenas deseja que as coisas sejam realizadas com mais transparências e sejam realizados os procedimentos elencados no ofício protocolado junto ao comando.

Fonte: Site da AME/AC

MILITARES INICIAM CAMPANHA NACIONAL ANTI PT


Fonte: Blog da Renata

terça-feira, 28 de agosto de 2012

CONQUISTANDO OS GRÊMIOS ESTUDANTIS

Em uma reunião com aproximadamente cem pessoas, o candidato a vereador Subtenente PM. Verissimo Antrobos (PSDB) recebeu o apoio de representantes de diversos grêmios estudantis. Verissimo como é mais conhecido, se comprometeu, caso seja eleito, a criar diversos projetos que beneficiem os estudantes de nossa capital, dentre eles, a criação de uma banda de fanfarra oficial do município de Rio Branco.
Fonte: Alerta Político

MULHERES GESTANTES OU EM RESGUARDO NÃO PODERÃO MAIS SER ALGEMADAS NO ACRE


O governador Tião Viana, através do Decreto publicado na manhã desta segunda-feira (27), no Diário Oficial, sancionou a Lei Nº Nº 2.598 em que, de agora em diante, fica proibido o uso de algemas em mulheres que estejam no período de gestação, durante e depois do parto. Confira a publicação:
ESTADO DO ACRE
LEI Nº 2.598 DE 24 DE AGOSTO DE 2012
Proíbe o uso de algemas em mulheres em período de gestação, durante e depois do parto.
O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE
FAÇO SABER que a Assembleia Legislativa do Estado do Acre decreta e eu sanciono a seguinte Lei:
Art. 1º Fica proibido o uso de algemas nas mãos ou calcetas nos pés, em mulheres em período de gestação, durante o parto ou em período de resguardo.
Art. 2º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.
Rio Branco-Acre, 24 de agosto de 2012, 124º da República, 110º do Tratado de Petrópolis e 51º do Estado do Acre.
Tião Viana
Governador do Estado do Acre
Da Redação do Acrealerta.com

sábado, 25 de agosto de 2012

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Preste atenção nas chamadas das matérias a respeito de Sebastião Viana

www.agenciadenoticias.ac.gov.br, em 09/08/2012

Atenção na segunda imagem.

www.ac24horas.com, em 24/08/2012

Um pequena pesquisa


Oito em cada 10 policiais querem sair da PM, afirma pesquisa

A perseguição, o baixo salário, o militarismo, a insegurança nas ruas e a falta de reconhecimento dos trabalhos foram alguns dos motivos que levaram a oito de cada dez policiais entrevistados a afirmarem que desejam sair da PM nos próximos anos.

A pesquisa foi realizada por colaboradores do Blog 4 de Maio, entre os dias 13 e 19 de agosto, em três batalhões da capital. Sessenta policiais foram ouvidos de maneira informal para que não houvesse qualquer tipo de repressão administrativa.

- As perguntas centrais eram: “Você está estudando para passar outro concurso?”. Ou: “Se pudesse sair da PM, hoje, para ir para outro emprego que lhe rendesse o mesmo salário, você sairia?”. A entrevista não poderia ser direta para não assustar ou levantar questionamentos dos militares, afirmou o administrador do Blog.

Entre os principais motivos que levaram a resposta dos militares estavam o desprestígio da categoria, o regulamento disciplinar, a perseguição, as injustiças dentro dos quartéis, salário não condizente ao perigo que se corre nas ruas, serviço à noite e o militarismo. Nesse quesito a pergunta era de resposta aberta, a fim de entender a demanda da categoria para novas reivindicações.

Os militares envolvidos no levantamento dos dados foram instruídos a terem discrição para que seus nomes não fossem ligados diretamente ao 4 de Maio, isso acarretou prejuízos a própria pesquisa.

- Poderíamos fazer uma pesquisa mais abrangente, recolhendo informações a respeito de problemas de saúde adquiridos no decorrer da vida militar, endividamentos, família dentre outros assuntos. Se tivesse liberdade para a realização do trabalho, convidaríamos até mesmo um militar com maior conhecimento estatístico para mapear a forma como está a instituição. Mas não é estranho se eu disser que ela não está bem.

Seis policiais militares, dois de cada unidade, se encarregaram de conversar com dez policiais cada. Não houve privilégios de entrevistados, tanto pessoas com mais tempo de serviço quanto os policiais que se formaram agora, oficiais e praças participaram da atividade.

Justiça Militar não pode mais julgar crimes de trânsito envolvendo viaturas da PM


Habeas Corpus da Oliveira Campanini em Brasília retira competência da Justiça Militar para julgar acidentes de trânsito envolvendo viaturas   
Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça, sob a Presidência do Ministro Marco Aurélio Bellizze e com Relatoria do Ministro Gilson Dipp, à unanimidade de votos, concedeu a ordem de Habeas Corpus impetrada pela Oliveira Campanini Advogados em favor do Sd E.F.d.M para anular a ação penal militar em que era acusado de haver cometido um crime de homicídio e duas lesões corporais contra civis na direção de viatura policial militar.
No caso, o referido PM, em perseguição a indivíduos infratores da lei na região de Osasco/SP que haviam realizado um roubo, veio a colidir a viatura policial contra o veículo ocupado pelas três pessoas, socorrendo-as de imediato ao PS local.
Infelizmente, após algum tempo, uma das vítimas veio a óbito.
Os bandidos, infelizmente, conseguiram escapar.
O Ministério Público denunciou o PM à 4ª Auditoria da Justiça Militar Estadual pela prática das três lesões corporais graves, e depois, aditou a denúncia para incluir o homicídio.
A defesa pleiteou o não recebimento do aditamento da denúncia que incluía o homicídio, haja vista não existir prova técnica a respeito da morte do civil ter sido causada pelos ferimentos advindos do acidente, uma vez que o mesmo, quando faleceu, já se encontrava em sua residência com alta médica.
A defesa também pleiteou a nulidade do processo por incompetência absoluta da justiça militar para julgar tais crimes de trânsito, o que foi negado pelo juízo.
Em sede de Habeas Corpus, a OCAA sustentou ao TJM/SP também a nulidade da ação penal militar, tendo a Egrégia 1ª Câmara rejeitado o pedido.
Era o momento de se decidir de uma vez por todas de quem é a competência para julgar os acidentes de trânsito envolvendo viaturas oficiais.
Foi por isso que a Oliveira Campanini Advogados impetrou novo Habeas Corpus junto ao Superior Tribunal de Justiça, em Brasília/DF.
Após meses de estudo pelos Ministros da 5ª Turma, os mesmos decidiram, à unanimidade de votos, que a banca advocatícia tinha razão em seus pedidos, ordenando a anulação do processo penal militar desde o início, eis que a competência para julgar tais crimes não é da justiça militar.
Com essa decisão, sempre que o acidente de trânsito envolver viatura policial com vítima civil, por ser analisado à luz do Código de Trânsito Brasileiro e não do Código Penal Militar, as partes da ocorrência não mais devem ser conduzidas aos Plantões de Polícia Judiciária Militar (PPJMs).
Participaram do julgamento também os Ministros: Jorge MussiLaurita Vaz e Adilson Vieira Macabu (Desembargador convocado do TJ/RJ).
Fonte: Assessoria de Imprensa da Oliveira Campanini Advogados Associados -Divulgação permitida, desde que citada a fonte.

                                                        www.ocaa.adv.br

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Greve faz Dilma trocar PF por militares na Copa



PF exibe faixa de protesto no aeroporto de Congonhas em SP
A presidente Dilma Rousseff decidiu privilegiar o papel das Forças Armadas no comando da segurança dos grandes eventos que vão ocorrer no Brasil a partir do ano que vem - Copa das Confederações em 2013, Copa do Mundo de Futebol em 2014 e a Olimpíada do Rio em 2016. A intervenção da presidente na estrutura criada para os eventos ocorreu depois que Dilma formou convicção de que na greve em curso os policiais federais agiram para atemorizar a sociedade em aeroportos, postos de fronteira e portos.

De acordo com assessores diretos, Dilma considera absurda a forma como os policiais federais têm agido na greve, levando a população a constrangimentos com revistas descabidas em malas e bolsas, além de exibição de armas em suas operações-padrão. A presidente teme ainda que o Brasil passe por vexames durante os grandes eventos e não se esquece - segundo um interlocutor - de que os policiais federais tentaram fazer um protesto durante a Rio+ 20, quando deveriam estar cuidando da segurança dos chefes de Estado e de governo e das autoridades presentes.

O comando da Secretaria Extraordinária de Grandes Eventos (Sesge), subordinada ao Ministério da Justiça e dirigida por um delegado da PF, Valdinho Jacinto Caetano, já começou na prática a perder espaço para as Forças Armadas. Num primeiro movimento autorizado por Dilma, o Ministério da Defesa publicou ontem no Diário Oficial da União (DOU) portaria que prevê o redistribuição de verbas de segurança em eventos e avança nas funções estratégicas da secretaria em favor dos comandos do Exército, Marinha e Aeronáutica.

Conforme a portaria, em contexto emergencial, o Ministério da Defesa fica autorizado a realizar o planejamento para emprego temporário das Forças Armadas para atuar nas áreas de defesa aeroespacial, controle de espaço aéreo, defesa de áreas marítima, fluvial e portuária, segurança e defesa cibernética, de preparo e emprego, de comando e controle e de defesa contra terrorismo.

O Ministério está também apto a comandar tarefas de fiscalização de explosivos, de forças de contingência e defesa contra agentes químicos, biológicos, radiológicos ou nucleares.

A medida, conforme o texto, vale para todas as cidades-sede da Copa e dos grandes eventos programados até 2016. Entre eles, estão ainda a Copa das Confederações e a visita do Papa Vento XVI durante A Jornada Mundial da Juventude, no Rio, em 2013. A Sesge, desidratada de recursos e atribuições, tende a exercer um papel de segundo plano nesses eventos.

O Estado apurou que, num segundo momento, o Planalto planeja substituir o titular da secretaria por um representante do Ministério da Defesa. Criada em agosto de 2011, a Sesge está em plena execução de um orçamento de R$ 1,17 bilhão.

Embora incomodado com os sinais do Planalto, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, informou por meio da assessoria do Ministério que não comentaria portaria de outra pasta.

Protestos. Na terça-feira, 21, houve novos protestos de servidores federais em greve. Agentes da Polícia Rodoviária Federal com funções de chefia entregaram simbolicamente seus cargos à Superintendência do Rio de Janeiro. Em Salvador, fiscais do Ministério da Agricultura distribuiram oito toneladas de arroz e feijão. Nos aeroportos de Congonhas (SP), Confins (BH) e JK (Brasília), policiais federais fizeram passeatas e apitaços. /

COLABORARAM TIAGO DÉCIMO E ANTÔNIO PITA

ESTADÃO

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Policlínica poderá reajustar mensalidade em mais de 66% nos próximos dias



A reunião marcada para a próxima quinta-feira, 23, entre o comandante geral, diretor da policlínica e presidentes de clubes e a associação dos militares (AME/AC) deverá definir o aumento da mensalidade da Fundação de Saúde da PM (Funsau) em até 66%.

A proposta de aumento foi enviada pelo diretor da Funsau, coronel Luis, e aceita pelo comandante geral, coronel José dos Reis Anastácio, que já está com a portaria pronta com um percentual diferente da solicitação, requerendo apenas uma reunião de faz-de-conta para “legitimar” a publicação.

Entenda a Jogada

De acordo com informações de policiais militares, o coronel Luis pediu um aumento 20 reais, colocando tudo em teto máximo, para que as entidades representativas não concordem, caberá ao comandante geral, coronel José Anastácio, resolver o impasse deixando o valor da mensalidade em 40 reais.

A mesma estratégia foi utilizada pelo quase ex-prefeito Raimundo Angelim quando define a tarifa de transporte público.

- Até nisso esse povo quer copiar o PT. Na tarifa de transporte público, os empresários jogam os preços “lá em cima”, os representantes dos bairros congelam os preços, daí vem o prefeito dizendo que todos devem sair ganhando e pega um preço ao meio, sem concordar com um ou com outro, declarou o informante.

Esse será o segundo reajuste este ano

Em março deste ano, o Blog 4 de Maio informou sobre o aumento de até 100% sobre os descontos em exames, cobrados dos militares pela Policlínica (LEIA AQUI). Na oportunidade, apenas o comando geral e o diretor da Funsau definiram tudo. O que se espera agora e que a ditadura dos quartéis não vigore e a reunião “democrática” não sirva apenas para legitimar ações já definidas pelo comando da PM.

O que se espera dos representantes dos militares


Estarão na reunião os presidentes, Isaque Ximenes (AME/AC), Agnaldo (Clube de Subtenentes e Sargentos), Isnar (Clube de Cabos e Soldados). O que se espera de cada um deles é que, de fato, defendam os interesses da categoria cobrando melhorias no atendimento, ampliação dos serviços e transparência e publicidade nas prestações de contas da Funsau.

Desabafo de um novinho - injustiça em transferência

Bom dia amigos do 4de maio, sou soldado da ultima turma e acabo de vir do comando geral revoltado com a forma que foi distribuido o efetivo do CFSD 2011/2012, pelo que diz o RDPMAC deve ser respeitada a antiguidade na nota intelectual no curso para a lotação nos batalhões, mas o que o nosso comando fez foi o inverso. Eu, por exemplo, estou lotado em Sena Madureira enquanto pelo menos 20 soldados com media intelectual inferior a minha estão lotados nos batalhões da capital, não sei ser por serem ¨peixe¨ de algum superior ou por simples incompetência na distribuição do efetivo. Ocorre que depois que eu e alguns colegas verificamos essas falhas fomos atrás de nossos direitos e entramos com requerimento para que fosse revista essa classificação. Eu, por exemplo, possuo residência fixa na capital Rio Branco, sou casado, tenho 2 filhos e estou no ultimo ano da faculdade e meu requerimento simplesmente foi indeferido, sendo que colegas de farda solteiros bem mais novos que eu e com classificação entre os últimos colocados estão lotados na Cia ambiental e nos batalhões da capital.

Nos que passamos longos 9 meses aprendendo a trabalhar dentro da legalidade respeitando os direitos humanos a Constituição e as demais leis que nos regem, vemos no nosso primeiro contato como “soldados prontos” o nosso glorioso comando geral, onde estão nossos ¨inteligentíssimos¨ coroneis,  desrespeitarem o nosso estatuto, simplesmente ignorar o capitulo IV, art. 18 e seus parágrafos sobre hierarquia e disciplina. Nós, mesmos frustrados, agradecemos o belo exemplo do nosso comando e colocaremos em pratica essa bela lição de desrespeito às leis. Obrigado. Bom dia.


segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Rapaz armado de faca invade Batalhão da Polícia Militar



A invasão ao prédio do 5º Batalhão da Polícia Militar, localizado na rua Boa Vista, bairro Vitoria, aconteceu na madrugada deste sábado, 18, quando o rapaz identificado pelo nome de Jhon Jefferson armado de faca teria quebrado o vidro da janela do Batalhão.
Após ser detido o acusado foi conduzido ao Pronto Socorro de Rio Branco, devido se encontrar sob efeito de drogas ficou internado sob observação medica em seguida será conduzido a Delegacia de Polícia para ser responsabilizado por invasão de prédio público e danos ao patrimônio.

Fonte: Ecos da Notícia

E o concurso da PM?

Olá , através desse e-mail, peço que publique em seu blog esse alerta, de algumas fraldes, que aconteceram no ultimo concurso da policia militar do estado do Acre, por partes de alguns candidatos, na cidade de Tarauacá, no prédio da escola de Ensino médio, Dr. Djalma da Cunha Batista, candidatos participantes falaram que receberam ajuda, de outros candidatos que fizeram  a prova no mesmo local, candidatos esses que só foram presta concurso no intuito de ajudar seus amigos, um deles já formado em nível superior e servidor concursado do estado , usando o seguinte esquema, Esse "concorrente" terminou sua prova faltando uma hora, pro termino, sendo assim saiu da sala com ela, e de posse da mesma, já toda resolvida, foi direto ao banheiro onde, como já tinha combinado antes, ocultou num devido local , seus amigos "protegidos" faltando pouco mais de meia hora começaram a sair ao banheiro, onde desfrutaram sem esforço nenhum das respostas. Investiguem certos candidatos que tiveram baixo desempenho na prova dos Bombeiros, e agora estão gozando de altas notas, neste concurso. Isso não pode ficar impune diante dos esforços de muitos jovens que se esforçaram, estudaram, e agora vão ficar pra trás, ultrapassado por fraldadores. Peço também que divulgue meu nome, isso pode apenas ser uma denuncia sem provas materiais, mas tem todo o fundo de verdade.

Alisson Motta

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Nota de Repúdio da Família do SD Santos Pereira


É revoltante o descaso, o desrespeito, o menosprezo, a falta de sensibilidade, a falta de amor com o próximo, o egoísmo..., falta adjetivos pra descrever a atitude deste "oficial" MAJ MONCADA. A gente que é da família estamos indignados com a postura do comando de Sena e do Comando Geral da PMAC, por saber da situação e não ter tomado nenhuma providência. Será que se fosse um filho deles eles agiriam assim? Claro que não! Pois aos oficiais, as brechas da lei e aos praças, os rigores da lei. Eles só pensam em como se promover às custas do trabalho que um SD faz e não refletem que assim como eles, também tem família, tem sentimentos. Quando é do interesse deles eles transferem um militar sem motivos fortes, como foi o caso do SD Torres que, também lotado em Santa Rosa, não cumpriu três meses de serviço naquele Pel, não tinha ninguém da família gravemente doente, sem ter permutado com ninguém, e da noite para o dia, foi transferido para Rio Branco, e pasmem! É o mais moderno da turma de 2009, ou seja, quando se tem um TUBARÃO, não há hierarquia, que tanto é pregado pelos oficiais e que por ser um dos pilares da instituição deveria ser respeitado. Não há burocracia, que impeça uma transferência “empeixada”.  
Como se nota, há uma grande disparidade entre esse caso e a do SD Santos Pereira, que correu em busca de seus direitos de cuidar do próprio filho na capital, lugar de mais recursos. Infelizmente, ele procurou apoio onde não havia, pois pensara ele que a instituição seria sensível aos seus problemas. Mas, ao invés disso, recebeu um NÃO como resposta. Somente agora percebeu que “Servir e Proteger” vale somente a alguns, nem mesmo um companheiro de farda, merece tal mérito.
Queira Deus confortar o coração do nosso soldado, pois tamanha dor não se pode medir com palavras, nem ao menos com reparações tardias...
Infelizmente, seu filho não volta mais. Mas queremos que a instituição repense seus valores, atos e princípios, pois pensamos que o maior bem que temos é a família e não queremos que isto aconteça com nenhum ser humano.
               O SD Santos Pereira, não tinha nenhum “peixe”, mas ele tem Deus e sua família que o ama muito e que vai dar todo apoio necessário à sua recuperação para amenizar a dor da perda, que ele buscou na PMAC e não encontrou.

Paulo José Santos Pereira

Inscrições em cursos da Senasp terminam amanhã


Um comandante mentiroso, confira a matéria


PM diz que policial não anexou laudo que comprovasse a enfermidade do filho


O comando da Polícia Militar se posicionou sobre a denúncia do policial Santos Pereira em responsabilizar o comando da PM pela morte do filho. Segundo Pereira, o filho apresentava problemas graves de saúde e precisaria ficar em local onde existe suporte médico adequado.
O policial era lotado no município de Santa Rosa e não conseguiu ser transferido para Rio Branco por demora por parte do comando. O filho morreu com seis meses de idade.
Em nota, o comando nega as acusações e diz que o policial não anexou laudo que comprovasse a enfermidade do menor. O comando explica que o policial protocolou requerimento ao comandante do 8º Batalhão, em Sena Madureira, solicitando sua transferência para a capital em virtude de uma série de fatores.
No documento constava o fato da criança ser portadora de epilepsia e necessitar de acompanhamento, mas não foram apresentados os laudos. O pedido foi recebido o procedimento foi iniciado.
Na nota, o comando diz ainda que em nenhum momento impediu o policial de trazer a criança para a Rio Branco, pois seria direito dele. “Todo militar tem direito a afastamento para tratamento de saúde de pessoa da família”, diz trecho da nota destacando que o policial é amparado pela Lei Complementar 164/2009 do Estatuto dos Militares Estaduais.
bb
Criança morreu com seis meses por falta de assistência médica (Foto: Arquivo da família)
A corporação diz não ter se furtado em oferecer recursos e mecanismos para o policial tratar do filho e que a estrutura da Policlínica foi colocada à sua disposição. No final da nota, o comando presta solidariedade à família.
A denúncia foi feita pelo tio da criança, Paulo Pereira, ao siteAgazeta.net e TV Gazeta. A família entrará com uma ação ao Ministério Público Estadual (MPE) para apurar o caso.

Fonte: Agazeta.net

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Governador fanfarrão


Sebastião Viana manifesta apoio à greve da PF, mas prendeu PM e Bombeiros que reivindicaram aumento salarial em seu governo

Foto: Sérgio Vale, Agência de Notícias

Uma pessoa contraditória, um aproveitador. Assim pode ser definida a postura adotada pelo governador Sebastião Viana ao manifestar apoio à greve da Polícia Federal. Recebendo uma equipe do sindicato da categoria em seu gabinete, o chefe do executivo se comprometeu a enviar um posicionamento favorável ao Ministério da Justiça.

- Farei isso com o maior prazer, declarou Viana ao site oficial do governo, Agência de Notícias (Leia Aqui).

Não foi por menos que a notícia soou de forma desagradável nos corredores dos quartéis da PM e do Corpo de Bombeiros.

- Devemos apoiar os policiais federais, ele merecem o que reivindicam. O que eu fiquei impressionado foi com o cinismo do governador. Aqui a gente fez uma paralisação de 24 horas, ele prendeu toda a nossa tropa e tripudiou sobre nossa miséria. Governador, apóie também os policiais civis e militares, os bombeiros, os médicos, os professores que estão sendo humilhados com o péssimo salário que o seu governo paga, declarou uma praça do Gabinete Militar.

Para outros militares, a atitude do governador não foi uma novidade.

- Vou me impressionar com o quê? Isso é uma prática do PT, eles são assim. O Tião (Viana) só apóia a PF porque não depende dele conceder o aumento, se fosse dele a responsabilidade, maltrataria todo mundo, sentenciou um soldado também do Gabinete.

Os militares fizeram também fizeram uma ligação do apoio com um fato que ficou conhecido no Estado. Em uma de suas viagens ao interior, Viana teria se irritado com a presença da Polícia Federal registrando os passos de sua comitiva. O objetivo da PF era combater as irregularidades nas eleições de 2012. A informação foi publicada no blog do Reinaldo Azevedo, um dos mais visitados do país. (Leia Aqui).

- Ele está fazendo política de boa vizinhança, mas a PF possui grande credibilidade e saberá fazer seu trabalho de forma isenta, combatendo as ilegalidades, declarou um de nossos contatos no Gabinete Militar.

Enquanto Sebastião Viana manifesta seu apoio a PF, ele, se quer, manifesta apoio concreto à Isonomia do Risco de Vida para PM e Corpo de Bombeiros. Esse é o “Tião Engana”.

Comissão de Direitos Humanos da Aleac vai entrar no caso da morte do filho de soldado, diz Major Rocha



O deputado Major Rocha pediu, na manhã de ontem, 14, que a Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa acompanhe o caso da morte do filho do soldado da PM Santos Pereira, acontecido no último dia 13.

De acordo com o parlamentar, a solicitação tem como objetivo fazer com os parlamentares acompanhem os prejuízos que a “burrocracia” militar faz com policiais e bombeiros militares, além de identificar a pessoa ou as pessoas que contribuíram com a morte da criança e responsabilizá-las.

- Fiz a solicitação e o deputado Walter Prado disse que vai atender nosso pedido. Já entreguei para os membros da comissão todos os documentos recolhidos com o militar, como a Inspeção de Saúde, Laudo Médico, requerimento de transferência e atestado de óbito, declarou o parlamentar.

Apesar de ter realizado o pedido, o deputado Rocha vai acompanhar de perto o desdobramento do caso.

- Estarei presente em todos os passos dados, tanto internos no que diz respeito à PM, quanto os que serão realizados pela Comissão da Assembleia, precisamos dar um fim nas injustiças que são praticadas dentro dessas instituições.

Dando explicações

O major Sergio Moncada deu explicações para o governador e comandante geral a respeito do caso. Em uma reunião restrita, mas da qual o Blog 4 de Maio teve acesso, ele justificou a intransigência administrativa com a necessidade do serviço policial em Santa Rosa e disparou mentiras contra alguns de seus subordinados, afirmando que as críticas tinham cunho político.

- O major achou melhor colocar a culpa nos subordinados do que assumir as besteiras que fez, o governador parece que acreditou nele e permitiu que ele continue no comando do batalhão, declarou uma das pessoas que participaram da reunião.

Movimento em Sena Madureira

Revoltados com a situação, os militares de Sena Madureira já estão pensando em fazer um movimento para retirar o oficial do comando.

- Não é a primeira vez que perseguições acontecem, nós temos alguns documentos que podem piorar muito a situação aqui em Sena, temos gravações e filmagens que podem dar outra direção para o caso, declarou uma praça.

Militar denuncia armação do governo para fazer campanha eleitoral junto a servidores


“Pura Politicagem”

Foi assim que a maioria dos Policiais Militares e membros dos Bombeiros e Polícia Civil viram o evento, tendo como tema “Cidade do Povo”. Alguns inclusive saíram antes mesmos do encerramento do evento.
O evento estava agendado e foi mencionado, inclusive na escala de serviço das Unidades e Batalhões. Este fora realizado na última sexta-feira dia 10 de Agosto às 08h00min no Auditório da Secretária de Educação. No evento, estiveram presente o Secretário de Habitação do Governo, Sr. Aurélio Cruz, o Cmt Geral da PMAC, Cel Anastácio e o Sr. Secretário Adjunto de Obras Públicas, Sr. Leonardo Neder.
A intenção do evento era boa, mas a falta esclarecimento e inexatidão das informações passadas aos ouvintes tornaram o evento enfadonho e Politiqueiro, já que as dúvidas dos Servidores não eram esclarecidas e que para ser contemplado com uma casa, o Servidor precisa ter margem consignável e não ter restrição cadastral, fato que não é novidade para ninguém que queira financiar uma casa. Também foi perguntado sobre valores, tamanhos das casas e quantidades de cômodos, mas as respostas não vinham a contento, pois não era clara.
O primeiro a falar foi o Sr. Aurélio Cruz, este mencionou sobre as fases de financiamento, o segundo a falar foi o Cmt Geral da PMAC, CEL Anastácio, este mencionou sobre a preocupação do Governador em atender a demanda Habitacional dos Militares e que eles terão prioridades, já que o Governo estar em débito com a tropa e que o interesse foi do próprio Governador em atender os interesses da categoria. Em seguida falou o Sr. Leonardo Neder, este mencionou que o Governo vai conseguir solucionar os problemas ou crimes causados pelos Governos passados, pois construíam de qualquer jeito e incentivavam pessoas a realizar ocupações irregulares a troco benefício político. Esse último teve a “cara de pau” de dizer que esta é mais uma obra que a prefeitura de Rio Branco irá realizar e será um sucesso.
            Após essas falas, vários Militares, Bombeiros e Policiais Civis, começaram a sair do auditório e dizer que era politicagem e que eles irão fazer a mesma coisa com as outras Secretárias. Lamentável verificar esse tipo de coisa, acabei de perder minha manhã de folga para ouvir politicagem, uma coisa que talvez só ficará pronta em 2014, mas parece que as casas já estão prontas, disse um Policial.


                                                 Relatos de um Policial

Governo do PT pede que Senadores Não Aprovem Aumento Salarial para os Militares

Esse é o governo do PT

terça-feira, 14 de agosto de 2012

MORTE DE FILHO DE PM EM SANTA ROSA DO PURUS


Caro administrador do Blog 4 de Maio, sou policial militar de Sena Madureira. Resolvi lhe mandar este e–mail, pois não posso me calar diante do que houve hoje, dia 13/08/2012, na regional do Purus, que compreende os municípios de Sena Madureira, Manoel Urbano e santa Rosa.
O fato é que o SD PM Santos Pereira, lotado a mais de dois anos no município de Santa Rosa do Purus, ao diagnosticar uma patologia séria em seu filho teve que se ausentar daquele município por alguns dias para tratamento do mesmo, porém diante da gravidade da doença, o médico responsável pelo acompanhamento de seu filho, lhe forneceu um laudo recomendando que ele, teria que morar em um município que lhe oferecesse melhor suporte para o tratamento Da criança. Diante disto ele foi até a policlínica, que é o centro de saúde da PM, onde o diretor daquela unidade, que é um Coronel, diante do laudo médico e da devida inspeção da junta médica daquela unidade solicitou a transferência imediata do citado policial.
Diante do referido laudo homologado e assinado por aquele Coronel, o soldado Santos Pereira, fez um requerimento solicitando sua transferência imediata para o  município de Sena Madureira e anexou tanto o laudo médico que diagnosticava a doença de seu filho, quanto o laudo da policlínica devidamente assinado pelo responsável daquela unidade de saúde, e protocolou junto ao comando da PM de Sena Madureira no mês de Maio de 2012. Portanto nenhuma providência foi tomada por parte do Major Moncada comandante do batalhão de Sena Madureira, no sentido de resolver essa questão o mais rápido possível. E hoje pela Manhã, o inesperado aconteceu... A referida criança veio a falecer naquele município sem ter a oportunidade de receber um atendimento adequado!
Agora lhe pergunto: Quem vai ser responsabilizado pela morosidade na transferência do citado policial, que ocasionou a morte prematura do seu filho?
Até quando esse comandante autoritário e ditador vai cometer seus abusos e permanecer impune?  Pois é do conhecimento de todos da casa, sua fama de perseguidor e a sua indiferença para com o bem estar dos seus subordinados.
Onde estão os Direitos Humanos neste momento? Pois eles prezam pela vida, e a meu ver, essa criança de apenas 05 meses de vida não teve direito a ela!  Até quando eles vão ficar calados diante dos absurdos que acontecem dentro PM? Será que não somos deste mundo para não sermos alcançados por esses direitos? Como eles querem que prezemos por essas garantias na nossa atuação policial, se na nossa instituição muitos “superiores” passam por cima das mesmas?
Deixo todas essas perguntas para reflexão...  Pois a dor da perda de um filho é imensurável! E sei que nada mais pode trazer essa criança de volta. Mas que justiça seja feita, para que a dor daquele pai seja amenizada.
Deixo aqui, meus sentimentos à família enlutada.
Segue em anexo, documentos comprobatórios de tudo que foi relatado acima.


Laudo da Junta Inspeção de Saúde emitido pela Policlínica

Laudo Médico emitido no dia 03/07/2012. A criança já estava em tratamento a meses.

Atestado de óbito

Requerimento recebido pelo comando de Sena Madureira em  23/05/2012

Comandante de Sena vai ao velório de filho de soldado e diz que militar está transferido


Agora não adiante mais. Depois de indeferir o requerimento do soldado Santos Pereira, o major Moncada resolveu transferir o militar. O ato administrativo só veio depois que o soldado perdeu o filho de apenas seis meses.

O oficial deu a informação no velório e meio aos prantos de familiares. Santos Pereira sairá de Santa Rosa para Rio Branco.

- Isso é consciência pesada. Ele sabe que errou e agora quer amenizar as coisas, mas se não fosse ele, o menino poderia estar vivo ainda, declarou um graduado de Sena.

Os militares lotados nos municípios estão revoltados com a atitude insensível do oficial em não ter permitido a transferência do soldado em tempo hábil.

A criança será enterra na manhã de hoje.

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Intransigência administrativa levou filho de soldado à morte, dizem militares de Sena Madureira


Os Policiais Militares de Sena Madureira estão revoltados com a intransigência administrativa do comandante da 8º Batalhão, Major Sergio Moncada, em não transferir o soldado Santos Pereira para Rio Branco para cuidar do tratamento de saúde de seu filho de apenas seis meses que faleceu na manhã de hoje, 13.

De acordo com os militares, o soldado que estava servindo em Santa Rosa, tinha um laudo da Policlínica afirmando que seu filho deveria ser tratado na capital, já que em Rio Branco tinha melhores recursos para restabelecer a saúde da criança.

O militar entregou, há dias, dois requerimentos, um deles feito na Associação dos Militares (AME), entregues a Moncada e ao comandante geral da PM, José dos Reis Anastácio.

- Ele buscou de todas as formas sair de Santa Rosa para cuidar do filho, mas nem o major Moncada nem o comandante geral permitiram que ele cuidasse do filho dele. Está todo mundo puto da vida com os Moncada aqui em Sena, declarou um militar.

Depois que o pior aconteceu, o comando liberou a Policlínica para cuidar do translado do corpo da criança para Rio Branco.

- Toda ajuda é sempre bem vinda, mas porque só estão ajudando agora que o filho do cara morreu? Por que não permitiram que o Santos Pereira cuidasse do filho dele em Rio Branco, isso é uma pouca vergonha, só quem se lasca é a gente mesmo, continuou o militar de Sena.

Santos Pereira está transtornado. De acordo com um militar que esteve acompanhando o caso, ele se culpa por não ter deixado a PM e cuidado do filho.



O Blog 4 de Maio a meses vem alertando sobre a situação de militares em Santa Rosa e Manuel Urbano, quem sabe agora seja feita alguma coisa.

POLICIAIS MILITARES DE SENA MADUREIRA CORREM RISCO DE MORTE EM ATIVIDADE DE DESVIO DE FUNÇÃO




Em Sena Madureira, soldados da última turma (2009), estão sendo empregados na reforma do Batalhão, como também na limpeza da área externa, através da utilização de roçadeira, isso tudo sem as mínimas condições possíveis de segurança. Por serem “novinhos” e com medo de serem perseguidos por dizerem não ao comandante, sujeitam-se a esses desvios de função, porque sabem que, nesta OPM, perseguição é uma prática frequente para aqueles que discordam da opinião do comandante, onde são tidos como inimigo do mesmo. Assim aconteceu com quem não aceitou ir para o reservado e com quem não quis fazer o estágio do GIRO, além de outros.

Como mostram as fotos, os policiais que trabalham na reforma do 8°BPM ficam em uma escada de aproximadamente 5 metros de altura sem nenhum equipamento de segurança, se chegar a acontecer algum sinistro (que Deus os protejam para que não ocorra) quem será o responsável ou o irresponsável por eles? Quem arcará com as despesas médicas (isso se escapar)? Que embasamento terá para amparar os familiares sendo que não constam em escala?

Fica ai e a indagação, qual será o serviço que está esperando os recém-formados soldados que pensam que suas funções são exclusivamente de segurança pública?

Sena Madureira agradece ao Blog 4demaio, pois, a partir das denúncias realizadas neste Blog sobre a utilização irregular da viatura descaracterizada FRONTIER a qual não parava na cidade, mas hoje “Não sabendo o porquê” a mesma é vista com bastante frequência no pátio do Batalhão como deveria ter sido desde o início.



Gostaríamos de dar uma sugestão para que seja realizada uma força tarefa com a participação de especialistas em escavação, para que seja realizadas buscas no intuito de encontrar essa manada de cabeças de burro enterrada que deve existir na área do 8°BPM, pois, não tem outra explicação (tem e todos sabem, porém nada é feito) para o que ocorre em Sena.